Catarinense cria emblema para missão espacial e vence concurso da Nasa

Por Redação | 15 de Setembro de 2017 às 15h58

Depois de o menino-prodígio João Paulo Guerra Barrera, de 7 anos, ganhar um concurso da Nasa, outro brasileiro foi condecorado pela agência espacial norte-americana. O catarinense Rafael Fontes, de 31 anos, venceu o concurso do Centro de Excelência para Inovação Colaborativa (CoECI) por ter desenvolvido um emblema para o projeto Nasa In Space Manufacturing Refabricator (ISM).

Chamado de Torneio Lab, o concurso faz parte de uma parceria com o portal Freelancer.com, que vem sendo utilizado pela agência em projetos de crowdsourcing com o objetivo de desenvolver soluções para a exploração espacial.

O desafio do concurso propunha em transmitir o tema da exploração espacial, reciclagem de materiais e fabricação sob demanda para um emblema. O patch vencedor foi criado em forma triangular, representando a escotilha de uma cápsula de foguete e que passa a ideia de reciclagem também. 

No topo do triângulo, há uma sequência listrada, que simboliza a ponta de uma impressora 3D. No interior da figura, surge a ilustração de um astronauta que faz malabarismo com as ferramentas que podem ser refabricadas. 

O emblema criado por Rafael Montes e premiado pela Nasa

Rafael Fontes mora em Barra Velha (SC) e é formado em publicidade. Ele competiu com 191 freelancers de todo o mundo e recebeu uma gratificação de US$ 250 (cerca de R$ 778). O designer já havia participado de outros dois concursos da Nasa no Freelancer — em ambos, terminou entre os dez primeiros colocados.

Em 2015, o projeto Nasa ISM fez história ao enviar a primeira impressora 3D para a Estação Espacial Internacional com o objetivo de fabricar peças no espaço. Agora, o Refabricator quer reciclar plásticos em peças impressas em 3D.

O logotipo vencedor será usado em apresentações, itens usados pela equipe (canecas, camisas etc.) e em materiais desenvolvidos para educação e divulgação pública.