Buracos negros supermassivos podem orbitar uns aos outros

Por Redação | 28.06.2017 às 07:38

Uma descoberta histórica foi anunciada nesta terça-feira (27): astrônomos da Universidade do Novo México conseguiram observar e, portanto, confirmar, que dois buracos supermassivos negros podem orbitar entre si.

O estudo, que vinha sendo conduzido há 12 anos pela estudante de física e astronomia Karishma Bansal, foi publicado no Astrophysical Journal. “Apesar de suspeitarmos que isso seria possível, ninguém havia visto até agora”, explicou a estudante.

Lembra das ondas gravitacionais de Einstein, que somente foram confirmadas no ano passado? Pois a estudante e seu professor, Greg Taylor, detectaram essas ondas como resultado da colisão de dois buracos negros extremamente massivos. E foi isso que permitiu a conclusão de que esses buracos negros estavam, na verdade, orbitando uns aos outros.

As regiões estudadas estão localizadas a 750 milhões de anos luz da Terra, em uma galáxia nomeada como 0402+379. Com a descoberta, a equipe espera continuar estudando a fim de desvendar mais mistérios quanto à formação de buracos negros supermassivos, bem como sobre o movimento das galáxias em que eles estão localizados. “A órbita de estrelas binárias nos fornece vários esclarecimentos sobre estrelas. Agora nós seremos capazes de usar técnicas similares para entender os buracos negros supermassivos e as galáxias onde eles residem”, explicou Bob Zavala, astrônomo do Observatório Naval dos Estados Unidos.

Além disso, analisar a órbita e a interação entre esses objetos também pode ajudar a ciência a entender melhor o que o futuro reserva para a nossa própria galáxia, a Via Láctea. Isso porque a galáxia Andrômeda, que é nossa vizinha, tem um buraco negro supermassivo em seu centro, e está a caminho de colidir com a Via Láctea dentro de alguns bilhões de anos.

Fonte: Phys.org