Asteroid Day: evento promove conscientização sobre asteroides nesta terça (30)

Por Patrícia Gnipper | 30 de Junho de 2020 às 07h45

Há seis anos, todo dia 30 de junho é o "Dia do Asteroide", oficialmente chamado Asteroid Day. Trata-se de um evento global celebrado anualmente com palestras, entrevistas e atividades científicas acontecendo em todo o mundo, e com um objetivo em comum: promover conscientização sobre asteroides. Neste ano de 2020, a programação é toda online por conta da pandemia de COVID-19 — e os conteúdos oficiais já vão começar.

Na edição da vez, a programação do Asteroid Day (que tradicionalmente já traz coisas como as últimas pesquisas relacionadas a asteroides e as observações mais recentes feitas por grandes telescópios) inclui o debate sobre a chegada iminente das amostras dos asteroides Ryugu e Bennu que serão trazidas à Terra pelas agências espaciais JAXA e NASA, respectivamente, e o evento também fala bastante sobre os preparativos das missões DART e Hera — a primeira, da NASA, enviará uma sonda para se chocar com o pequeno asteroide recentemente batizado de Dimorphos, que orbita um asteroide maior chamado Didymos, na tentativa de desviar sua órbita e verificar se é possível mudar a trajetória de um objeto espacial; a segunda, da ESA, enviará uma sonda para lá alguns anos depois para avaliar a cratera gerada pelo impacto da DART e, assim, complementar os estudos.

"Cada asteroide é um indivíduo com sua própria história para contar. E é disso que se trata o Asteroid Day: levar essas histórias para o maior público possível", diz o comunicado oficial do evento para a imprensa. A data foi co-criada em 2014 pelo Dr. Brian May (guitarrista do Queen e doutor em astrofísica), com Danica Remy (presidente da B612 Foundation), Rusty Schweickart (ex-astronauta das missões Apollo) e o cineasta Grig Richters. Em 2016, as Nações Unidas declararam o Asteroid Day como o dia oficial de conscientização global sobre asteroides.

Por que 30 de junho?

Foto tirada em 1938 durante uma expedição do mineralogista russo Leonid Kulik, que investigava o Evento de Tunguska (Foto: Sovfoto/Universal Images Group)

A data foi especificamente escolhida para abrigar o Asteroid Day porque foi neste dia, em 1908, que um asteroide se chocou com a Terra na Sibéria, sendo este o evento relacionado a asteroides mais prejudicial da história recente de nosso planeta. A ocasião ficou conhecida como o Evento de Tunguska, que ainda é recheado de mistérios e permanece um assunto polêmico até os dias de hoje.

A queda do asteroide gerou uma enorme explosão, que devastou milhares de quilômetros quadrados. Como o asteroide explodiu no ar, a devastação aconteceu por conta do deslocamento de ar subsequente à explosão e, por isso, não há uma cratera de impacto no solo. A energia da explosão foi de entre 5 e 30 megatons de TNT (aproximadamente mil vezes da energia da bomba de Hiroshima e um terço da bomba Tsar, a mais poderosa arma nuclear já detonada), mas como o asteroide atingiu uma área florestal, os estragos não foram tão prejudiciais assim — isto é, se pensarmos em um cenário comparativo em que o mesmo impacto acontecesse em uma área metropolitana. Ainda assim, cerca de 80 milhões de árvores foram derrubadas em uma área de 2.150 km², e até um terremoto foi provocado como consequência do choque.

O que tem de bom no Asteroid Day 2020?

A transmissão oficial começa às 8h (horário de Brasília) no site do Asteroid Day, onde também podemos conferir a programação completa do evento, que tem cinco horas de duração no total. Mas não se preocupe caso não consiga assistir ao vivo: todo o conteúdo será continuamente reprisado ali até o dia 4 de julho.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.