Time de beisebol quer usar VR para aproximar fãs durante jogos

Por Redação | 09.05.2016 às 10:38

Muito em breve, os fãs do time de beisebol San Francisco Giants poderão acompanhar os jogadores e lances de uma forma ainda mais imersiva e próxima do que a presença no próprio estádio. A equipe está trabalhando em uma série de experiências de realidade virtual que vai colocar os aficionados o mais perto possível dos atletas, mesmo que apenas de forma virtual.

A primeira leva de conteúdos desse tipo foi apresentada no último final de semana, mas gravada no início de abril durante o Opening Day, dia em que os Giants fizeram seu primeiro jogo da temporada contra o Los Angeles Dodgers. Toda a ação foi acompanhada de perto pela equipe da Jaunt, uma empresa especializada na criação de vídeos em VR, que conta, inclusive, com a Disney entre suas principais investidoras.

Durante o final de semana, fãs selecionados da equipe de São Francisco puderam experimentar a realidade virtual no estádio da equipe. Usando um Samsung Gear VR, eles puderam acompanhar alguns dos melhores lances da partida, estando logo atrás do batedor, correndo ao lado de um dos atletas e observando a estratégia da equipe diretamente do gramado.

Para muitos, foi o primeiro contato com a realidade virtual, mas, claro, a equipe não quer que a história pare por aqui. Em meio a reações festivas dos fãs, que mostraram bastante entusiasmo com a ideia, o San Francisco Giants revelou que realizará uma série de especiais desse tipo ao longo da temporada. Claro, ainda não será possível assistir a um jogo inteiro nessa perspectiva, mas a ideia é que cada vez mais momentos e lances sejam capturados dessa maneira e apresentados no formato.

O trabalho de escolha do que seria gravado e a captura dos momentos em si foi feito lado a lado com as equipes, jogadores e técnicos, que também sabem muito bem quais são os momentos que o público mais gosta. Os primeiros a sentirem a emoção de estarem no meio de uma partida importante da temporada foram os câmeras, pois estavam, literalmente, no gramado, mais um aspecto que só foi possível com a ajuda dos times, que conheciam a posição dos equipamentos e pessoal de forma a evitar acidentes e, ao mesmo tempo, não interferir na partida.

E o feedback estava praticamente sendo dado em tempo real, já que, enquanto os fãs acompanhavam as primeiras imagens editadas, uma nova leva de gravações já estava acontecendo. A ideia, daqui em diante, é investir cada vez mais nesse tipo de tecnologia e, em algum momento, inclusive, liberar a experiência também para quem possui dispositivos de realidade virtual em casa.

Fonte: Fast Company