Telescópio espacial Hubble detecta manchas escuras em Netuno

Por Redação | 27 de Junho de 2016 às 09h21

Novas imagens obtidas pelo telescópio espacial Hubble, da NASA, detectaram a existência de um vórtice escuro na atmosfera de Netuno. Em 1989, a agência espacial avistou essas manchas pela primeira vez durante o voo da Voyager 2 pela região, mas esse é o primeiro registro do fenômeno após a virada do século. Mike Wong, astrônomo e pesquisador líder do grupo que investigou as imagens registradas em 16 de maio, anunciou a descoberta no Central Bureau for Astronomical Telegrams (CBAT).

manchas escuras em Netuno

Os vórtices escuros do gigante gasoso são sistemas de alta pressão normalmente acompanhados por nuvens de cor clara, que também são visíveis na imagem registrada pelo Hubble. Elas são formadas quando o fluxo do ar da região é desviado, congelando gases e transformando-os em cristais de gelo de metano.

manchas escuras em Netuno

Ao longo dos anos, esses vórtices escuros na atmosfera do planeta têm variado de tamanho, formato e estabilidade, surgindo também em intervalos menores se comparados aos ciclones e tempestades de Júpiter, por exemplo, que levam décadas para se desenvolverem. Agora, os astrônomos da agência esperam entender melhor como essas manchas se formam em Netuno, bem como o que está por trás do controle de suas oscilações, como interagem com seu ambiente e também como e por que elas se desmancham.

Fonte: NASA

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.