O segredo da origem da superfície de Mercúrio está no seu interior

Por Redação | 02.07.2016 às 21:44
photo_camera NASA

A missão Messenger, que enviou uma sonda espacial não tripulada ao planeta Mercúrio e encerrou-se em 2015, continua permitindo aos cientistas revelarem mistérios sobre o primeiro planeta do Sistema Solar. Pesquisadores descobriram que os diversos depósitos de material vulcânico localizados na superfície de Mercúrio só podem ter vindo de uma camada muito interna de seu manto, chegando próximo de seu núcleo.

Após analisar uma série de dados coletados pela sonda, os cientistas concluíram que aquele material só pode ter vindo de perto da fronteira manto-núcleo do planeta, que fica a apenas 400 quilômetros abaixo de sua superfície. A sonda também mostrou que a superfície de Mercúrio é bastante heterogênea, mas ela pode ser classificada em duas regiões principais. Uma delas é uma área relativamente nova chamada Northen Volcanic Plains (NVP), formada há cerca de 3,7 bilhões de anos. A segunda região se chama IcP-HCT e foi criada há mais tempo — por volta de 4 bilhões de anos.

Mercúrio

Detalhe da superfície de Mercúrio (Reprodução: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Carnegie Institution of Washington)

Essas regiões mais antigas apresentavam características que, até então, a comunidade científica não sabia explicar, como por exemplo uma enorme área rica em magnésio com as dimensões de aproximadamente o tamanho do Canadá (mas como o planeta é muito pequeno, essa região representa mais ou menos 15% de sua superfície total). Agora, um grupo de cientistas do Johnson Space Center, da NASA, realizou diversos experimentos com dados enviados pela Messenger e conseguiram explicar, enfim, a origem da maioria da composição química da superfície do menor planeta do nosso quintal espacial.

Para tal, a equipe simulou as condições da época em que o planeta foi formado, sujeitando seus compostos químicos a altas pressões e temperaturas iguais às presentes no manto interno de Mercúrio. A Dra. Asmaa Boujibar, autora do estudo, explicou que “Mercúrio é um planeta rochoso único. Diferentemente da Terra, ele tem um núcleo largo e um manto relativamente raso, o que significa que a região da fronteira manto-núcleo está localizada a somente 400km abaixo da crosta do planeta.”

Ainda há algumas áreas da superfície do planeta cuja explicação sobre sua origem não foi completamente descoberta, mas a equipe segue estudando os dados coletados pela missão Messenger a fim de desvendar todos os mistérios do pequeno Mercúrio.

Fonte: Science Daily