Sibéria enfrenta 'apocalipse zumbi' da vida real

Por Redação | 02 de Agosto de 2016 às 21h40

O aquecimento global está causando um "apocalipse zumbi" na Sibéria, com o ressurgimento de uma bactéria rara que afeta seres humanos e animais, o antraz. Depois de ter registrado 5ºC acima do normal, a região de Yamal-Nenets ficou em alerta, pois o microrganismo começou a se espalhar rapidamente.

Tudo começou, provavelmente, por conta de uma carcaça de uma rena morta há mais de 70 anos, quando houve a última epidemia de antraz. Com o aumento da temperatura, o cadáver acabou descongelando, junto com as bactérias. Para se ter dimensão das consequências, 2 mil renas já morreram e 90 pessoas foram levadas a hospitais. Infelizmente uma criança acabou falecendo.

De acordo com os pesquisadores russos, as bactérias de antraz podem sobreviver mesmo em condições extremas, sendo capazes de "ressuscitar" em condições climáticas mais favoráveis. Dessa forma, o mais comum é que os animais acabem sendo contaminados através do solo, e os humanos por meio da inspiração dos esporos ou por contato com bichos infectados.

Segundo os estudiosos, uma das maiores preocupações é de que haja um surto da bactéria em Yakutia, onde há mais de 200 lugares de sepultamento de gados mortos em contaminações anteriores. Assim, os pesquisadores têm solicitado alerta e monitoramento dos cemitérios em que haja vítimas da doença enterradas.

Fonte: Exame

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.