Novos trajes espaciais da Boeing são inspirados em "2001 Uma Odisseia no Espaço"

Por Redação | 03.02.2017 às 09:54

A Boeing foi a empresa escolhida pela Nasa para desenvolver os novos trajes espaciais que serão usados pelos astronautas nos próximos anos. E, para a surpresa do público, que viu os trajes pela primeira vez na semana passada, eles foram baseados em 2001 - Uma Odisseia no Espaço.

Mais finos, lisos e com cores vibrantes, as roupas inspiradas no clássico filme do diretor Stanley Kubrick também são mais leves, têm um formato mais justo e mais simples. Para o astronauta Eric Boe, que experimentou os modelos, essas são melhorias significativas.

A vestimenta também conta com um novo capacete, luvas que funcionam com telas sensíveis ao toque e ventilação embutida
A vestimenta também conta com um novo capacete, luvas que funcionam com telas sensíveis ao toque e ventilação embutida (Reprodução: Nasa)

O fato de o traje pesar aproximadamente 4,5 quilos a menos que os convencionais, mesmo com todos os acessórios encaixados, também é outro fator que contribui para que ele seja mais confortável e não comprometa tanto a locomotividade do astronauta.

Além da roupa em si, a vestimenta inclui um novo capacete, luvas que funcionam em telas sensíveis ao toque e ventilação embutida. E cada astronauta receberá uma roupa feita sob medida - que beleza, heim?

Novas roupas espaciais serão usadas num projeto da Boeing que levará astronautas à Estação Espacial Internacional. Se bem-sucedido, eles poderão ser adotados em definitivo pela agência espacial dos EUA
Novas roupas espaciais serão usadas num projeto da Boeing que levará astronautas à Estação Espacial Internacional. Se bem-sucedido, eles poderão ser adotados em definitivo pela agência espacial dos EUA (Reprodução: Nasa)

A previsão é de que as novas roupas sejam usadas no projeto Starliner, da Boeing, e que cujo objetivo é levar astronautas à Estação Espacial Internacional. Caso o projeto seja bem-sucedido, em breve poderemos dizer que os dias dos famosos trajes brancos que fizeram história estão contados.

Fonte: Nasa, Gizmodo