Missão espacial da NASA pretende reabastecer satélites

Por Redação | 24 de Junho de 2016 às 10h28

A NASA aprovou uma nova missão, a Restore-L, que tem como objetivo desenvolver e lançar para o espaço uma nave robótica, que pode reabastecer e fazer trabalhos de manutenção em satélites já em órbita. A missão também se concentra em seu primeiro cliente em potencial, a estatal Landsat 7, que atua com satélites. A previsão é que a missão Restore-L comece a operar em 2020.

A nave espacial será equipada com braços robóticos para agarrar sondas e com um sistema de transferência de propulsor para entregar quantidades específicas de combustível na temperatura e pressão adequadas. A missão pode mudar a maneira como as empresas espaciais constroem e operam satélites, já que vida útil dos veículos espaciais seria estendida e poderia impedir o fim prematuro de satélites.

Além disso, uma vez que o projeto estiver operando, as empresas poderão optar por implantar tanques de combustíveis meio vazios em suas naves espaciais para liberar espaço para mais instrumentos a bordo. "Com a manutenção robótica, os proprietários de satélites podem estender a vida útil de satélites que estão em operação com pouco combustível, colhendo anos adicionais de serviço", disse Benjamin Reed, vice-gerente de projeto da NASA. "A partir de seu investimento inicial, se um painel solar ou uma antena de comunicações falhar, as ferramentas de reparo poderiam ajudar a recuperar o ativo que de outra forma teriam sido perdidos."

Restore-L

Segundo Frank Cepollina, um dos líderes da missão espacial Hubble, a missão Restore-L "introduz novas formas de gerir roboticamente, atualizar e prolongar a expectativa de vida dos ativos nacionais dispendiosos. Ao fazer isso, ela abre opções expandidas para operações mais flexíveis, eficientes e de baixo custo no espaço".

Além de atender outras espaçonaves, a NASA também usará a missão Restore-L para testar várias tecnologias em futuras missões para Marte e para locais mais distantes. Tais tecnologias incluem um sistema de navegação, braço robótico, softwares e gestão de detritos orbitais. Se tudo ocorrer conforme o planejado, a agência espacial irá utilizar algumas tecnologias da Restore-L na missão Asteroid Redirect, que está programada para lançamento por volta de 2020.

Fonte: NASA, Engadget

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.