NASA descobre novos riscos à saúde de astronautas que viajarem a Marte

Por Redação | 26 de Outubro de 2016 às 10h52
photo_camera NASA

A NASA está agindo cautelosamente antes de colocar em prática seu ambicioso plano de levar pessoas à Marte. A atual prioridade da agência espacial americana é gastar tempo e dinheiro pesquisando os efeitos que uma viagem espacial prolongada pode ter no corpo humano.

Em um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, em San Diego, e financiado pela NASA, descobriu-se que uma viagem espacial longa afeta a coluna vertebral dos astronautas. Isso porque ela causa atrofia dos músculos que suportam a coluna vertebral, o que, consequentemente, provoca elevadas dores nas costas e doenças do disco vertebral.

Os resultados foram obtidos após seis tripulantes da NASA serem avaliados antes e depois de ficarem de quatro a sete meses sob o efeito da microgravidade da Estação Espacial Internacional (ISS). Cada um deles foi submetido a exames de ressonância magnética da coluna, antes e depois da missão.

Os exames revelaram uma redução de 19% na área de seção transversal funcional dos músculos paravertebrais lombares durante o voo. E, mesmo dois meses após o regresso à Terra, apenas dois terços dos tripulantes conseguiram se recuperar da atrofia muscular. Foi descoberto ainda que os astronautas estão em maior risco de desenvolver uma hérnia de disco meses após uma viagem espacial longa.

Vale lembrar que em outro recente estudo, foi descoberto os perigos da radiação ao cérebro dos astronautas. Parece que a NASA ainda tem um longo trabalho pela frente para enviar sua missão tripulada à Marte em segurança.

Fonte: SlashGear

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.