Na Rússia, ministro da cultura afirma que Netflix é uma ameaça dos EUA ao mundo

Por Redação | 23 de Junho de 2016 às 10h41

Embora haja uma série de razões para que a Netflix seja um sucesso no mundo todo, parece que para o ministro da cultura da Rússia, Vladimir Medinsky, o serviço de streaming não passa de um complô do governo dos EUA para dominar os meios de comunicação global. Segundo Medinsky, a plataforma faz parte de um projeto de controle mental dos norte-americanos e deve ser combatida o quanto antes.

A declaração foi dada pelo parlamentar nesta quarta-feira (23) durante uma entrevista para a agência russa de notícias Rambler. Segundo o político, "startups como a Netflix não surgem do nada, e não funcionam como se um adolescente tivesse uma ideia de bilhões de dólares numa epifania". O que Medinsky não sabe é que a Netflix surgiu em 1997, inicialmente entregando filmes em DVD pelos correios, como uma espécie de locadora com entregas em domicílio.

O posicionamento do russo surpreendeu a imprensa local principalmente depois do próprio presidente do país, Vladimir Putin, ter recomendado a série House of Cards para o seu ministro da Defesa, Sergei Shoigu. Segundo Putin, a dramatização "cínica" que o seriado faz da política norte-americana é de um ótimo uso para países estrangeiros.

Por mais fictício que pareça, não é a primeira vez que o Kremlin acusa os EUA de tramarem um plano de dominação global utilizando algumas de suas empresas: durante o período da Guerra Fria, o fundador da URSS, Vladimir Lenin, defendia veementemente que o inimigo usava sua influência no cinema para hipnotizar e controlar as populações de outros países, para que, assim, eles se tornassem aliados das potências capitalistas.

Via: Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.