Missão que simulou como seria viver um ano em Marte chega ao fim

Por Redação | 29 de Agosto de 2016 às 07h17
photo_camera Christiane Heinicke/HI-SEAS

“De volta” à Terra, um grupo de cientistas está comemorando o encerramento do período de um ano em que participaram de uma simulação de viagem a Marte. O Hawaii Space Exploration Analog & Simulation (HI-SEAS) é um projeto coordenado pela Universidade do Havaí cujo objetivo é simular as condições do terreno marciano para estudar como seria passar uma “temporada” por lá.

A experiência terminou neste domingo (28), e, nela, seis cientistas permaneceram isolados em uma barraca de mais ou menos 11 metros de diâmetro e seis metros de altura instalada perto do vulcão Mauna Loa, no Havaí - local que tem condições bastante parecidas com o solo de Marte. A equipe foi composta por especialistas de diversas áreas de atuação, incluindo medicina, física, arquitetura, biologia e engenharia.

A equipe comemorando o final da missão (Reprodução: HI-SEAS)

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para recriar as condições de uma viagem ao Planeta Vermelho, os cientistas contavam com um sistema de comunicações que funcionou com um atraso de 20 minutos, que é o tempo de atraso da comunicação entre a Terra e nosso planeta vizinho. Durante a simulação, eles só caminharam pelo exterior da barraca usando trajes especiais similares aos trajes dos astronautas, e também precisaram administrar os limitados recursos à disposição para que nada se esgotasse antes da hora.

Um cientista caminha pelo terreno parecido com o marciano, à frente da tenda onde a equipe viveu no último ano (Reprodução: HI-SEAS)

Depois de um projeto de 520 dias realizado na Rússia, a experiência do HI-SEAS foi a segunda mais longa a simular uma viagem a outro planeta. De acordo com os responsáveis pelo projeto, que contou com financiamento da NASA, a equipe passa bem depois de viver um ano como se estivessem colonizando Marte. Dados obtidos a partir dessa experiência também estão sendo estudados por pesquisadores do comportamento humano afim de determinar pontos-chave da convivência e entrosamento entre as diferentes personalidades e, assim, conseguir uma melhor harmonia entre a equipe que visitará, de fato, o Planeta Vermelho em 2030.

Uma nova missão simulada está prevista para acontecer em janeiro de 2017. A próxima equipe contará com profissionais de outras áreas, que viverão como se estivessem em Marte por oito meses. O projeto HI-SEAS já está recrutando interessados em se tornarem “astronautas virtuais”, e as inscrições serão aceitas até o dia 05 de setembro.

Fonte: NBC News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.