Google Play também vai baixar preços de conteúdos em 4K

Por Redação | 29 de Setembro de 2017 às 10h43

A resposta da Google à chegada de uma nova Apple TV não demorou muito. A empresa parece estar testando um novo modelo de precificação para os filmes em resolução 4K – um dos destaques do novo set-top box da rival –, pareando os valores das produções em ultra resolução aos de suas versões convencionais em FullHD.

As mudanças ainda não aparecem na versão nacional do serviço Google Play Filmes, mas já podem ser exploradas por usuários dos Estados Unidos. Mais especificamente, o novo modelo deu as caras em alguns poucos títulos da distribuidora Sony Pictures, não coincidentemente uma das principais parceiras da Apple na redução de preços de filmes em 4K e também uma das maiores apoiadoras do formato no meio da distribuição digital.

No que parece ser um teste, três longas recentes passaram a ter preços semelhantes nas versões Full HD e 4K. Passageiros, Homem-Aranha: De Volta ao Lar e Em Ritmo de Fuga são as bolas da vez, com as versões em altíssima resolução podendo ser baixadas em aparelhos compatíveis pelo mesmo custo das edições tradicionais.

Conteúdo em 4K aparece custando o mesmo de versões em HD na Google Play (Imagem: 9to5 Google)

A dinâmica, aqui, seria a mesma: filmes com resolução 4K podem ser baixados em aparelhos compatíveis, com o próprio sistema fazendo essa diferenciação. Caso o suporte não esteja disponível, a versão em 1080p convencional será a escolhida, sem que o usuário pague mais ou menos por isso.

Permanece, por outro lado, a antiga política de precificação, com os conteúdos em resolução standard custando menos – no Brasil, a diferença é de cerca de R$ 5. Fora os filmes da Sony Pictures, entretanto, não existem mudanças, e outras produções do catálogo da empresa também não aparecem modificadas, indicando se tratar de um teste para experimentar a recepção do público à altíssima resolução.

Nos EUA, as mudanças aconteceram tanto no serviço Google Play Filmes quanto no VUDU, serviço de aluguel e venda digital de conteúdo que pertence ao Walmart. Lá, os mesmos longas também estão disponíveis, com valores semelhantes, o que pode indicar a intenção de modificar os preços e condições na integralidade das plataformas digitais.

No caso da Apple TV, a política parece ser um pouco mais agressiva e permite, também, que usuários que já são donos de determinados conteúdos tenham acesso gratuito às versões 4K, quando disponíveis. Na Google Play, entretanto, isso ainda não é válido, pelo menos por enquanto.

Como as empresas envolvidas não se pronunciaram sobre o assunto, fica difícil saber exatamente o que está acontecendo e, principalmente, se as mudanças na política de preços serão aplicadas a toda a plataforma. Resta aguardar.

Fonte: 9to5Google

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.