Globo de Ouro 2022 | Nenhuma celebridade quer apresentar a premiação

Globo de Ouro 2022 | Nenhuma celebridade quer apresentar a premiação

Por Natalie Rosa | Editado por Jones Oliveira | 05 de Janeiro de 2022 às 21h30
Globo de Ouro

Faltando poucos dias para a edição de 2022 do Globo de Ouro, a premiação mostra que está indo de mal a pior. Após se envolver em polêmicas relacionadas às nomeações, a emissora que transmitia o evento disse que não o faria neste ano. Agora, sem qualquer informação de como será possível assistir, surge a notícia de que nenhuma celebridade aceitou comandar a apresentação.

A Variety diz ter obtido uma cópia do e-mail que um agente de talentos enviou para diversas agências de publicidade, perguntando sobre o interesse de seus clientes em participarem da premiação.

"O Globo de Ouro irá seguir em frente com um pequeno evento no dia 9 de janeiro, que irá não só premiar as melhores performances na televisão e cinema em 2021, como também reconhecer a importância de apoiar criativos diversos em toda a indústria", diz a carta obtida pela revista.

Para tentar convencer, a mensagem diz ainda que a HFPA (Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood) apoia financeiramente organizações carentes importantes para investir em futuros líderes da indústria. A organização do Globo de Ouro ainda não revelou se haverá a transmissão do evento, tampouco como será possível assisti-lo. Também não há informações de como os vencedores serão anunciados.

A série Emily in Paris está envolvida na polêmica do Globo de Ouro (Imagem: Divulgação/Netflix)

Polêmica

A situação começou a complicar para o Globo de Ouro no início de 2021, quando o Los Angeles Times revelou esquemas de corrupção entre os jurados da HFPA. O jornal afirmou que os 30 membros foram convidados pela produção da série Emily in Paris, da Netflix, para passar duas noites em um hotel cinco estrelas em Paris para conhecer o set de filmagens.

O convite, claro, foi malvisto, pois sugere que os jurados foram comprados com o presente para incluir a série nas indicações. Além disso, o Los Angeles Times revelou a falta de diversidade entre os membros da HFPA, que não conta com nenhuma pessoa negra.

A polêmica também se estendeu para o caso de Philip Berk, ex-presidente da HFPA que disse em e-mail que o movimento Black Lives Matter era um movimento racista e de ódio, e a exposição do conteúdo acabou em sua expulsão. Em 2018, Berk também foi acusado de assédio sexual contra Brendan Fraser e, na época, nada aconteceu.

Desde o começo de 2021 artistas têm manifestado indignação em relação ao Globo de Ouro, ainda que a HFPA começasse a se redimir das acusações. Até então, 21 novos membros foram adicionados à associação para ajudar em questões de diversidade e ética.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.