Elon Musk pede ajuda para entender explosão do foguete da SpaceX

Por Redação | 09 de Setembro de 2016 às 12h06
photo_camera SpaceX

Um grande mistério está rondando os trabalhos atuais de Elon Musk e sua empresa de exploração espacial, a SpaceX. E não, não tem nada a ver com vida alienígena nem nada do tipo. No dia 1º de setembro, um foguete Falcon 9 da empresa foi completamente destruído após uma explosão durante operações de abastecimento, e os engenheiros da companhia, até agora, não sabem exatamente o que causou a detonação.

Mais de uma semana depois do incidente, o CEO e fundador da companhia foi ao Twitter dar novas informações sobre o ocorrido – ou não. De acordo com ele, as investigações sobre o que aconteceu ainda estão em andamento, e o caso é “a falha mais difícil e complexa” sofrida pela companhia em seus 14 anos de história. Pelo que o executivo dá a entender, as causas exatas da detonação ainda são desconhecidas.

Explosões relacionadas a rotinas de abastecimento normalmente tem a ver com o combustível entrando em contato com alguma fonte de calor, sejam motores ligados ou algum tipo de faísca. Entretanto, de acordo com Musk, a operação estava sendo realizada como tantas outras antes dela; os foguetes estavam desligados e não há nada aparente como causador da detonação. Entretanto, um barulho baixo, logo antes do grande “bum”, pode ser a chave para entender o que exatamente aconteceu – a principal hipótese é de que o foguete foi atingido por algo, e isso causou a falha, ou um mau funcionamento que levou a ela.

É justamente por isso que Musk pede auxílio à NASA e à agência de aviação civil dos Estados Unidos, bem como a todos que, eventualmente, possuam imagens ou áudio gravados no momento do acidente. A explosão balançou prédios a quilômetros de distância da plataforma de lançamento, no Cabo Canaveral, localizado no estado da Flórida, e pôde ser ouvida ainda mais longe. A SpaceX, agora, tenta recolher o máximo possível de registros para compreender o que aconteceu.

Enquanto as investigações estão em andamento, entretanto, todos os lançamentos da SpaceX estão suspensos. Levando em conta o tempo consumido por análises desse tipo e o posterior trabalho de correção das falhas que levaram ao problema, a expectativa é que o próximo teste da companhia aconteça apenas no ano que vem, uma vez que todo esse processo pode levar de nove meses a um ano para ser completado. Ou seja, um grande revés nos planos de Musk, que investe cada vez mais na exploração comercial do espaço.

Apesar da força da explosão, o acidente não deixou feridos, uma vez que, como se tratava de uma operação de abastecimento, a plataforma estava vazia justamente devido ao risco envolvido. Apenas danos matérias foram registrados, com o foguete e sua carga sendo completamente destruídos.

Fonte: The Verge

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!