Cientistas revelam como um enorme impacto em Marte teria criado suas luas

Por Redação | 06 de Julho de 2016 às 16h25

A comunidade científica até os dias atuais ainda não “bateu o martelo” para determinar como as luas de Marte foram formadas. Seriam elas asteroides capturados pelo campo gravitacional do Planeta Vermelho, ou sua criação seria resultado de impactos e colisões de proporções astronômicas? Pois um grupo de cientistas do Royal Observatory da Bélgica acabou de registrar um estudo na Nature Geoscience com simulações computadorizadas mostrando que a teoria dos impactos faria mais sentido.

Sim, Fobos e Deimos - os dois satélites naturais de Marte - seriam resultado de um enorme impacto ocorrido no nosso vizinho nos primeiros anos de sua história, há cerca de 100 a 800 milhões de anos. Os pesquisadores acreditam que o corpo “invasor” teria proporções comparáveis a um terço da dimensão total do planeta e, por isso, os detritos da colisão teriam se reagrupado na órbita marciana ao longo dos anos, formando os satélites. Acredita-se que a nossa Lua tenha se formado por consequência de um impacto semelhante na Terra, processo igual à formação dos satélites de Plutão. Confira uma representação visual dessa teoria no seguinte vídeo:

“O cenário proposto pode explicar por que Marte tem dois pequenos satélites em vez de uma única lua grande”, disse Pascal Rosenblatt, líder do estudo. “Nosso modelo prevê que Fobos e Deimos são compostos por uma mistura de materiais provenientes de Marte e de seu invasor”, concluiu o cientista, cujo estudo também determinou que a lua Fobos está fadada a ser destruída dentro de 20 a 40 milhões de anos.

Contudo, apesar do registro na renomada revista científica, astrônomos e cosmólogos ainda rebatem argumentos com relação à formação das luas marcianas, não descartando a possibilidade delas serem apenas asteroides que ficaram “presos” na órbita de Marte. Para chegar a um consenso, novas sondas e missões serão enviadas ao Planeta Vermelho - e uma delas será a japonesa MMX (Martians Moons Exploration), cuja missão será justamente estudar os satélites naturais de Marte. A MMX deverá ser lançada em 2002.

Via: Geekwire

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.