Chuva cósmica pode ter influenciado a evolução na Terra

Por Ruam Oliveira | 20.07.2016 às 15:20

Há muito tempo atrás, uma explosão de estrelas pode ter lançado em direção à Terra uma grande quantidade de radiação. A biosfera do planeta só não foi completamente queimada porque a distância era de 300 anos luz. Ainda assim, esta explosão teve seus impactos no planeta azul.

Tais fenômenos astrológicos – incluindo as supernovas e os flares dos buracos negros – podem ter influenciado a vida na Terra de uma forma que afetou diretamente a evolução. E quando uma boa quantidade de estudos científicos começou a ser publicada nas revistas Nature e Science em abril deste ano, mostrando evidências desse tipo de supernova em um período próximo ao Plioceno (época geológica de mais ou menos 5 a 2 milhões de anos atrás), os cientistas passaram a debater a potencial influência na biologia e no clima da Terra.

Agora, esta hipótese ganhou um novo ânimo: Um estudo feito por modulagem computacional que calcula uma estimativa da quantidade de radiação adicional que a vida na Terra recebeu com essas tantas explosões. A radiação que foi lançada na superfície terrestre e da vida marinha teria aproximadamente triplicado logo após estes eventos, e tudo graças a um aumento de 20 vezes no número de partículas muón colidindo com o chão.

“Eu esperava que houvesse apenas um pequeno efeito”, disse o físico Adrian Melott, da Universidade do Kansas, co-autor do estudo que foi publicado esta semana pelo The Astrophysical Journal Letters.

Ele não é biólogo, mas também não se importa em dar alguns pitacos em relação as supernovas. Falando especificamente sobre as novas descobertas, ele diz que o nível extra de radiação recebido pode ter aumentado a taxa de mutação do DNA, o que pode ter acelerado a evolução. (A evolução não pode acontecer se não houver mutação no DNA, que é um processo que acontece muito, muito devagar).

Este estudo ainda sugere que o alto nível de radiação pode ter aumentado a carga elétrica da troposfera – mas se ela realmente recebeu este aumento não se sabe ao certo.

Fonte: Gizmodo