China termina de construir o maior radiotelescópio do mundo

Por Redação | 04.07.2016 às 10:09

A China está se preparando para se tornar uma das grandes forças internacionais referentes a pesquisa espacial. Para isso, os países tem investido em diversas frentes para analisar atividades no espaço. Um desses investimentos é o projeto Aperture Spherical Telescope (FAST), o maior radiotelescópio do mundo. Com ele, os chineses pretendem estudar melhor as atividades no universo, incluindo a possível presença de alienígenas.

Segundo a imprensa local, cerca de 300 especialistas, entusiastas de ficção científica e repórteres assistiram parte do processo de lançamento do FAST na província chinesa de Guizhou. O projeto levou cinco anos para ser concluído e foram investidos cerca de US$ 180 milhões para que ele fosse concluído. Seu tamanho cobre uma área de aproximadamente 30 campos de futebol.

O FAST é quase suas vezes maior que o segundo maior radiotelescópio do mundo, que está localizado em Porto Rico. Ele será utilizado por cientistas chineses para pesquisas em estágio inicial, sendo capaz de detectar ondas gravitacionais, além de aminoácidos em outros planetas. No entanto, o FAST será o tipo de telescópio que coletará ondas de som em vez de ondas de luz visível. "Será como identificar sons de cigarra em uma tempestade", explicou Nan Rendong, cientista chefe do projeto.

Para a construção do projeto, o governo chinês precisou deslocar 9 mil pessoas que viviam na área. Para isso, as autoridades pagaram cerca de US$ 1.800 para cada família. A realocação das pessoas foi necessária para criar um ambiente propício para a captura de sons das ondas eletromagnéticas pelo radiotelescópio.

Via Gizmodo, Revista Galileu