Casos de família: situações comuns para quem é o suporte técnico da galera

Por Joyce Macedo | 21.03.2016 às 12:00

Se você está lendo este artigo, provavelmente você é o suporte técnico não oficial da sua família quando o assunto é tecnologia. Isso significa que você deve receber mensagens de texto, telefonemas, e-mails e mensagens no Facebook de parentes que querem saber por que o celular não liga, ou por que sua lista de contatos sumiu "do nada".

Se este é o seu caso, é bem provável que você já tenha dito algumas das frases que reunimos neste texto pelo menos umas 20 vezes ao longo da vida.

1. O aparelho está ligado?

"Por que a tela do meu telefone está preta? Acho que quebrou. Ahhh, apertei aqui o botão de energia que você falou e agora ele está funcionando!"

via GIPHY

2. Você tentou desligar e ligar novamente?

"A tela está congelada, não tenho como desligar. Aperto o botão e nada acontece. Sim, já segurei por cinco segundos...ok, por uns dois segundos, talvez..."

via GIPHY

3. Você tentou pesquisar isso no Google?

"Por que eu usaria o Google se eu posso simplesmente te ligar?"

via GIPHY

4. Você pode entrar no Skype?

"O que é Skype? Não acredito, que maravilhoso! Eu posso te ver!"

via GIPHY

5. A bateria está carregada?

"Hmm...Boa pergunta"

via GIPHY

6. O software está atualizado?

"Ah, eu sempre recebo umas mensagens aqui falando algo sobre isso. Mas não gosto de mudanças, prefiro esse Android 2.2 mesmo"

via GIPHY

7. Qual foi o último aplicativo que você baixou?

"Um app que me prometeu créditos eternos para o celular. Baixei por um link que meu amigo mandou. Mas o que isso tem a ver com o problema do meu aparelho?"

via GIPHY

8. Você esqueceu o seu código de bloqueio?

"Eu anotei em algum lugar..."

via GIPHY

9. O que você fez pra tentar resolver este problema?

"Eu bati no computador algumas vezes, mas mesmo assim ele não funcionou. Ah, eu também tentei soprar a porta USB"

via GIPHY

10. Está na hora de comprar um celular/computador novo.

Desisto.

via GIPHY

É claro que essas frases são ditas depois que você se propôs a ajudar o ente querido a resolver o que quer que seja que ele tenha arranjado de problema. Mas nem sempre estamos no clima, afinal, somos humanos, seres com necessidades antissociais em determinados momentos.

Portanto, para driblar a função de suporte técnico naqueles momentos em que você quer apenas se divertir e confraternizar durante o almoço de domingo, oferecemos as seguintes ideias para fugir da raia, ou até mesmo evitar este tipo de situação sem prejudicar o relacionamento pessoal:

  • "Estou doente. Sim, é contagioso.".
  • "Estou atrasado para a minha terapia de controle de raiva".
  • "Hmmmm, até posso te ajudar, mas vai sair caro".
  • "Só consigo consertar isso com sua cópia original do Windows, tem aí?"
  • "Claro que posso te ajudar. Mas primeiro você pode me ajudar a terminar [insira aqui um projeto altamente complexo ou chato] e depois fico livre".
  • "Adoraria dar uma olhadinha para ver qual é o problema, mas é que na última vez que mexi em um [insira aqui a marca do aparelho em questão], ele pegou fogo algumas horas depois". (Ok, talvez essa estrague um pouquinho o relacionamento, afinal, todo mundo vai saber que é mentira.)
  • Se o problema for em um dispositivo Windows: "Eu só sei mexer em Macs".
  • Se o problema for em um Mac: "Eu só sei mexer em PCs".
  • Se o problema for no Linux: "Você é um usuário de Linux...se vira!"
  • Apenas diga "não". É chato, mas melhor do que inventar mil desculpas.

Conhecimento é poder

"Não dê o peixe, ensine a pescar". Se você já usou todas as suas desculpas, talvez seja hora de mudar de estratégia. A ideia aqui é ajudar seus familiares a aprender um pouco mais sobre tecnologia, dessa forma eles poderão resolver seus próprios problemas.

Para isso, você pode presenteá-los com um daqueles livros para iniciantes em determinados assuntos, indicar sites (como o Canaltech) ou simplesmente ensiná-los. Isso vai evitar futuras convocações para arrumar um celular que está apenas descarregado.

Se você é a parte da família que sempre pede ajuda ao sobrinho(a), não nos leve a mal. Geralmente, estamos dispostos a dar uma mãozinha quando for preciso, mas é que nem sempre podemos largar tudo e passar algumas horas corrigindo um problema que poderia ter sido evitado com um pouco de bom senso ou uma rápida busca no Google. Este é o famoso: "me ajuda a te ajudar".