Cadeira usada pela autora de Harry Potter é vendida por quase US$ 400 mil

Por Redação | 07 de Abril de 2016 às 14h00
photo_camera Divulgação

Uma cadeira de madeira simples e meio desconfortável foi vendida nesta quarta-feira (06) por US$ 394 mil em um leilão ocorrido em Nova York. O motivo? A autora J.K. Rowling sentou-se nela durante a escrita de dois livros que você, provavelmente, já ouviu falar: “Harry Potter e a Pedra Filosofal” e “Harry Potter e a Câmara Secreta”, os dois primeiros da saga do bruxo mais famoso do mundo.

Este é o terceiro leilão da peça, que foi dada de presente a Rowling em 1995 – quando ela ainda não era famosa – enquanto ela mobiliava seu apartamento. O vencedor, um colecionador anônimo, deu o maior lance já concedido ao móvel e, de acordo com os organizadores, 10% do valor será doado à Lumos, uma instituição de caridade da própria autora.

Cadeira J.K. Rowling

Os dizeres “Você pode não me achar bela, mas não julgue pelas aparências” e “eu escrevi Harry Potter sentada nesta cadeira” aparecem no encosto e nas laterais, e foram feitos à mão pela própria Rowling para o primeiro leilão da peça. Em 2002, ela obteve US$ 21 mil com a venda. Mais tarde, em 2009, o móvel foi leiloado de novo, pelo eBay, por US$ 29 mil. Foi aí que o organizador da venda atual, Gerald Gray, colocou as mãos nela, dando-a como um presente para a filha, fã do personagem.

O certificado de autenticidade é uma carta digitada pela própria Rowling, com anotações e assinaturas feitas de próprio punho. Ela conta a história da peça:

“Prezado novo-dono-da-minha-cadeira. Eu recebi quatro cadeiras de jantar desencontradas em 1995, e essa era a mais confortável. Por isso a coloquei permanentemente em frente à minha máquina de escrever, me sustentando enquanto eu escrevia ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’ e ‘Harry Potter e a Câmara Secreta’. Meu lado nostálgico está muito triste de vê-la partir, mas minhas costas, não.”

Cadeira J.K. Rowling

O primeiro livro da saga foi lançado em 1998 nos Estados Unidos. Desde então, a série se tornou um fenômeno que dispensa apresentações, com oito filmes – e outros mais por vir –, peças de teatro, jogos, brinquedos, parques temáticos e toda sorte de merchandising. Rick Rounick, dono da galeria onde aconteceu o leilão, afirmou que “os personagens de Rowling são os super-heróis dos millenials, como Batman e Superman foram nos anos 1960.”

Fonte: Mashable

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.