Projeto da arma feita em impressora 3D é proibido pelo governo dos EUA

Por Redação | 10 de Maio de 2013 às 12h33

A primeira arma de fogo feita em uma impressora 3D realmente despertou a curiosidade das pessoas, tanto que o projeto do equipamento foi baixado mais de 800 mil vezes em todo o mundo em apenas três dias, de acordo com a Forbes.

Na última quinta-feira (9), o Departamento de Defesa dos Estados Unidos se manifestou exigindo que o projeto fosse retirado do ar, alegando que ele violava o controle de exportação do país. A exigência foi atendida pelo grupo responsável pela criação e divulgação do documento.

Parece assustador imaginar que 800 mil pessoas ao redor do planeta, incluindo o Brasil — que ficou entre os que mais realizaram o download —, tenham em mãos um projeto de arma que pode ser impresso a qualquer momento. Mas não é motivo para pânico. Faria mais sentido se você se preocupasse com a saída temporária dos presidiários no Dia das Mães (que começou ontem) do que com a possibilidade de se deparar com um anarquista portando uma arma 3D na rua.

Isso porque a coisa não é tão simples quanto parece, afinal, é preciso ter uma impressora 3D super potente e mais um punhado de dinheiro. Apenas a impressora necessária para realizar a impressão da arma custa, no mínimo, US$ 8 mil (cerca de R$ 16 mil). No final das contas, é muito mais barato comprar uma arma qualquer no mercado negro — isso sim é assustador.

Mas porque tantas pessoas realizaram o download se não conseguirão ter a arma em mãos? Simples: pura curiosidade. O vídeo que demonstra a chamada 'Liberator' em ação já possui mais de 3 milhões de visualizações no YouTube.

De qualquer forma, o governo norte-americano está trabalhando para adequar suas leis para esse tipo de arma, pois à medida que a tecnologia avança, é preciso que a justiça a acompanhe.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.