Privacidade: japoneses criam óculos que impedem o reconhecimento facial

Por Redação | 23.01.2013 às 07:20 - atualizado em 23.01.2013 às 10:10

Enquanto muita gente ainda não está preocupada com o aumento da presença de tecnologias de reconhecimento facial, alguns pesquisadores japoneses já inventaram uma maneira de burlar esse tipo de sistema. Trata-se de uma espécie de óculos da privacidade.

Isao Echizen e Seiichi Goshi são professores do Instituto Nacional de Informática de Tóquio e da Universidade de Kogakuin, respectivamente, e eles foram os responsáveis pela criação desses óculos que emitem luz infravermelha e bloqueiam o reconhecimento facial por meio de câmeras.

Leia também: Nos EUA, 100% da população já está em um banco de dados de reconhecimento facial

O objetivo da dupla era combater o que eles chamam de "invasão de privacidade causada por fotografias tiradas em segredo". Isso porque nos últimos anos o reconhecimento facial tem sido integrado a câmeras de segurança, bancos de dados e até mesmo o Facebook, e muitas vezes essa tecnologia é usada para monitorar secretamente os consumidores e acompanhar seus hábitos de compras, conforme ressalta o pessoal do site Slate.

Eles também explicam que os óculos não são exatamente elegantes, na verdade eles têm um jeitão de "recém-saído do laboratório". Mas deixando de lado o design do protótipo, os óculos possuem pequenas luzes circulares anexadas a ele, que só são visíveis para as câmeras. A alimentação do aparelho é feita por uma bateria que fica no bolso do usuário e é conectada por um fio.

O protótipo tem atraído certa atenção após aparecer em um programa de TV japonês. "Estamos desenvolvendo uma versão melhorada dos óculos de privacidade, sem fonte de alimentação e que consistem de materiais transparentes que refletem ou absorvem um comprimento de onda específico", dizem os pesquisadores. Eles acreditam que o produto final vai ser (muito) barato, custando cerca de US$ 1 (algo em torno de R$ 2) cada unidade.