Notebook de 'espião' chinês tinha pornografia, e não segredos da NASA

Por Redação | 04 de Maio de 2013 às 12h05

No dia 16 de março, agentes do FBI embarcaram em um avião no Aeroporto Internacional Washington Dulles (EUA) para prender um chinês chamado Bo Jiang. O homem é um ex-empreiteiro que trabalhava no Centro de Pesquisas da NASA, nos Estados Unidos, e havia sido demitido junto com outros chineses, pois eles eram vistos por alguns políticos como uma ameaça à segurança norte-americana. Neste dia fatídico, os agentes foram atrás de Bo Jiang, pois parecia que ele tinha um notebook de propriedade da NASA em sua posse, e estava em um avião voltando para a China.

O pessoal do ArsTechnica reuniu alguns documentos em um artigo e mostrou que, depois da confusão, ficou claro que o ex-empreiteiro era culpado apenas por violar as políticas internas da NASA, mas nada que ameaçasse a segurança do país. Na verdade, não havia nenhuma evidência de qualquer material secreto ou sensível no notebook, até porque Jiang não tinha autorização para acessar tais tipos de projeto.

Porém, os investigadores encontraram outro tipo de material em abundância no computador: pornografia e filmes piratas. Desde que perdeu o emprego e viu seu visto de trabalho nos Estados Unidos expirar, Jiang simplesmente resolveu ir para casa levando consigo um pouco de... entretenimento.

Frank Wolf, um congressista republicano da Virginia que havia reivindicado a questão da segurança relacionada aos chineses na NASA, emitiu um comunicado à imprensa após a prisão de Jiang relatando toda a sua preocupação em relação ao caso. Porém, o comunicado que estava disponível no site do político sumiu de seu site após a verdade ser revelada - mas ainda é possível ver uma cópia da declaração no Google.

Entre as preocupações de Wolf estava a possibilidade de as informações presentes no notebook de Jiang pertencer a um código-fonte de alta tecnologia importantíssimo para a NASA, e que "poderia ter aplicações militares significativas para o Exército de Libertação Popular Chinês". Parece que ele estava completamente enganado, não?

No final das contas, Jiang se declarou culpado por violar as regras de segurança de computadores da NASA e, de acordo com a ação judicial, a acusação de mentir ao FBI sobre o notebook foi "resolvida". Não existe mais nenhuma menção sobre as acusações de roubo de propriedade do governo na documentação do caso.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.