É assim que viveremos quando finalmente habitarmos Marte

Por Redação | 20 de Agosto de 2014 às 08h15
photo_camera Reprodução

A ideia do ser humano habitar Marte é fascinante e já conta com investidas de peso, como a Mars One que quer estabelecer uma colônia no Planeta Vermelho e a agência espacial norte-americana (NASA) que planeja missões tripuladas para lá. Apesar disso, todos os projetos do tipo têm como objetivo apenas determinar a viabilidade da sobrevivência humana no planeta, bem como quais são as tecnologias para alcançar tal feito.

Embora aparentemente haja um longo caminho a ser percorrido até chegarmos às vias de fato de habitar Marte, a NASA quer saber como serão nossas casas por lá. Para isso, a agência promoveu o "Mars Base", um concurso que desafiou os participantes a desenharem modelos de casas impressos em 3D que pudessem ser construídos em solo marciano.

O primeiro lugar foi conquistado por Noah Hornberger e seu projeto intitulado "The Queen B". Com ele, Hornberger propõe apartamentos de dois quartos e dois banheiros construídos numa planta baixa que muito nos lembra as colmeias das abelhas. De acordo com ele, o principal diferencial do "The Queen B" é seu escudo de proteção contra a radiação cósmica nociva aos seres humanos e abundante na atmosfera de Marte.

O

O "The Queen B", projeto vencedor do concurso, aparentemente é o mais simples dos três primeiros colocados. A estrutura se assemelha bastante à das colmeias de abelhas e é de fácil construção (Imagem: Reprodução/Thingiverse)

"Este foi um desafio e tanto. Eu tentei pensar em várias possibilidades de design e em algo em que eu me sentiria feliz em morar por pelo menos alguns anos", disse Hornberger ao CNET.

O principal diferencial em relação aos demais é a preocupação do designer com os raios cósmicos, nocivos aos seres humanos. Com esse escudo protetor todo o problema seria resolvido

O principal diferencial em relação aos demais é a preocupação do designer com os raios cósmicos, nocivos aos seres humanos. Com esse escudo protetor todo o problema seria resolvido (Imagem: Reprodução/Thingiverse)

O segundo lugar foi conquistado pelo projeto intitulado "Martian Pyramid". Diferente do "The Queen B", ele traz uma ideia mais tradicional de abrigo. Baseado em formas triangulares, o projeto foi todo pensado para ser sustentável, contando com sistemas de irrigamento para cultivo de alimentos, painéis solares para geração de energia e um reservatório central para armazenar água.

O

O "Martian Pyramid" propõe uma estrutura semelhante às pirâmides egípcias onde praticamente todos os recursos seriam coletados da atmosfera marciana. (Imagem: Reprodução/Thingiverse)

Finalmente, a terceira colocação ficou com o projeto "Mars Acropolis" do projetista e engenheiro de design Chris Starr, que se baseou nas antigas acrópoles gregas para desenvolvê-lo. Nele, as residências seriam organizadas em três camadas projetadas para serem sustentáveis. Dentro da estrutura teriam três estufas que serviriam como local de cultivo de alimentos e oxigênio renováveis.

Na camada inferior, geradores de oxigênio e tanques de abastecimento, enquanto a água seria armazenada em estruturas semelhantes às caixas d'água no topo da estrutura. Segundo Starr, a ideia é que ela seja coletada a partir dos vapores na atmosfera marciana.

A proposta do

A proposta do "Mars Acropolis" é a mais tradicional de todas. Baseada nas antigas acrópoles gregas, a estrutura conseguiria abrigar uma dezena de pessoas e teria inclusive paredes de proteção (Imagem: Reprodução/Thingiverse)

Ao todo, o concurso recebeu 228 projetos de residências marcianas e para Bre Pettis, CEO da MakerBot, parceira da NASA na iniciativa, foi difícil escolher apenas três vencedores. "Foi incrível ver os projetos apresentados pelos designers no Mars Base Challenge e ver que eles se inspiraram em várias estruturas que existem ou existiram aqui na Terra", disse o presidente executivo. "O mais desafiador, no entanto, foi escolher apenas três vencedores do total de 228 participantes".

Agora é só esperar chegar a época em que efetivamente poderemos viajar e habitar o planeta vermelho para podermos usufruir desses projetos de casas confortáveis.

Leia também: Visitamos a NASA e vimos de perto o lançamento de uma missão espacial

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!