Cubo mágico agora é matéria obrigatória em colégio de São Paulo

Por Redação | 08 de Abril de 2014 às 18h50

Um dos brinquedos de maior sucesso da década de 1980 completou 40 anos agora no final de março: o cubo mágico. Criado pelo arquiteto húngaro Erno Rubik, o objeto, que tem apenas uma solução entre 43 quintilhões de combinações possíveis, vendeu 350 milhões de exemplares desde a metade dos anos 80. Até o momento, pelo menos um quinto de todas as pessoas no mundo já brincou com um cubo.

Mas a brincadeira não se limita apenas a rodas de amigos ou aulas de matemática. Desde o começo do semestre, alunos do 3º ao 8º do colégio particular Joana D'arc, em São Paulo, têm uma aula por semana de uma disciplina voltada especialmente para aprender a montar o cubo. Sim, é isso mesmo: o cubo mágico agora é uma matéria obrigatória nessa escola da capital paulista.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, dos 50 minutos de aula, entre dez a quinze minutos são usados para a parte teórica, e o resto do tempo é só treino. Participam das aulas crianças e pré-adolescentes de 7 a 14 anos, e quem ministra a disciplina é ninguém menos que Rafael Cinoto, ex-recordista sul-americano de cubo mágico com os pés e um dos delegados da Associação Mundial de Cubo Mágico no Brasil.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Um detalhe importante é que os estudantes não precisam gostar de matemática para aprender a montar o cubo, pois um dos principais pontos trabalhados na sala é o raciocínio lógico. "Certa vez, depois de um campeonato de cubo mágico, uma professora me contou que o aluno vencedor era o pior da turma em matemática", comenta Cinoto. "Existe um método para você aprender, uma sequência de movimentos e uma ordem para realizá-los", disse.

O professor ainda afirma que os alunos não brincam com o cubo só dentro da sala de aula, mas também durante o intervalo. Na opinião do educador, a brincadeira ajuda na socialização e aumenta a autoestima das crianças e adolescentes, principalmente dos estudantes mais quietos, que interagem com os mais falantes, pedindo ajuda a eles sobre como montar o cubo.

"Crianças percebem que podem resolver esse problema [do cubo mágico] mais fácil do que antes – para quem já tinha tentado, parecia impossível", disse Cinoto. Ele comenta que houve o caso de um aluno que veio lhe agradecer por ter ensinado a montar o cubo e acabar com o tédio nas horas vagas antes e depois de chegar em casa, pois agora "ele brinca e tenta aprender mais".

Cubo Mágico

Rafael Cinoto ensina os alunos do Joana D'arc a montar o cubo mágico (Foto: Fernando Henrique Folla/Divulgação)

Fora as aulas dentro da sala, Cinoto realiza pequenas competições. Um por um, os alunos se apresentam e mostram em quanto tempo conseguem montar o cubo. "Eu não coloco relógio na parede, nem faço ranking. O objetivo é superar a si mesmo. Se o aluno não aprendeu, tem uma semana para treinar", disse.

Cinoto possui um site dedicado a mostrar a maneira certa de se montar um cubo mágico rapidamente – inclusive usando os pés (clique aqui para acessar). O professor também tem um canal no YouTube no qual dá dicas de como resolver o enigma do cubo. Por exemplo, você sabe como montar um cubo mágico em menos de 30 segundos?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.