Mídias sociais: as mais novas aliadas da indústria cinematográfica

Por Redação | 13.08.2012 às 17:50

Estamos muito acostumados em associar conteúdos televisivos com a Internet, mas cada vez mais a indústria do cinema investe em novas formas de usar as mídias sociais na pré-divulgação de seus filmes. Quem não se lembra da febre que se tornou "Os Vingadores", muito antes do longa estrear nas telonas?

A novidade agora é a divulgação do filme hollywoodiano "Ted", que conta a história de um ursinho de pelúcia bem diferente! A divulgação do longa contou com diversas ferramentas online. O ursinho irreverente ganhou conta no Twitter, aplicativos no Facebook e até mesmo um blog.

A estratégia funcionou de maneira espetacular. O filme ficou em primeiro lugar nas bilheterias norte-americanas e arrecadou US$ 54 milhões no final de semana de estreia. Um valor extremamente alto, se pensarmos que o filme não é indicado para menores de 18 anos, o que restringe uma grande parcela de espectadores.

Ted

Cena do filme "Ted", sucesso de bilheteria nos Estados Unidos

Segundo o The Wall Street Journal, Hollywood está fazendo mais do que usar Twitter e Facebook como meros instrumentos de promoção. Após vários anos de experiência, os estúdios lançaram-se profundamente em um meio que ainda é mal compreendido e agora passaram a desenvolver elaboradas campanhas de mídia social no início, e às vezes, ao longo da exibição do filme.

Pesquisadores estão realizando análises numéricas profundas sobre as mensagens e tweets para orientar as decisões de marketing. Às vezes esses resultados conseguem prever com precisão a receita da bilheteria.

Eles passaram a olhar de maneira mais profunda esse setor da mídia que concentra seu público-alvo, os jovens. O Twitter possui cerca de 140 milhões de usuários ativos, sendo que metade deles se conecta todos os dias à rede de microblogging. Já o Facebook é a maior rede social, com quase um milhão de usuários espalhados pelo mundo. É impossível ignorar a força desse público.

Cerca de um quarto da audiência mais influente - jovens que possuem entre 18 e 29 anos - twittam quando vão ao cinema, o que representa quase o dobro das pessoas mais velhas.

Pois é, esta é a realidade e o poder das redes sociais na convergência midiática que não poupou nem Hollywood.