Aparelhos eletrônicos agora poderão ficar ligados em pousos e decolagens nos EUA

Por Redação | 31.10.2013 às 19:20

Há muito tempo, viajar de avião significa ter que desligar todos os seus gadgets e aparelhos eletrônicos à ordem da aeromoça: "durante o voo os aparelhos eletrônicos deverão permanecer desligados". Esse fato do dia a dia de muita gente já está com os dias contados.

Nos Estados Unidos, a FAA (Administração de Aviação Federal) divulgou que alguns produtos poderão ser usados durante o momento de pouso e decolagem, e não apenas quando a aeronave estiver em cruzeiro. Com exceção de alguns poucos casos, agora os passageiros não terão mais que desligar seus aparelhos durante o voo. Os celulares, no entanto, ainda deverão permanecer em modo avião para evitar eventuais interferências de sinal.

Há anos, passageiros apaixonados por seus dipositivos eletrônicos reivindicam o direito de deixar seus dispositivos ligados à medida que tais aparelhos assumem o papel de revistas e outras formas de entretenimento durante o voo. A novidade, no entanto, ainda está à mercê das companhias aéreas que têm autonomia para definir e adotar seus próprios procedimentos de segurança. A expectativa, porém, é que a nova norma seja adotada até o final do ano.

Entendendo por que aparelhos eletrônicos devem ser desligados no avião

Muitos questionam a real necessidade de ter que desligar seus dispositivos eletrônicos dentro da aeronave. O tema já foi alvo de um artigo publicado em um blog do New York Times pelo repórter Nick Bilton, que afirma não existir evidências suficientes que mostrem que a medida pode reduzir de maneira significativa o risco de quedas.

Segundo Bilton, nos últimos anos não houve um só acidente aéreo cuja causa tenha sido atribuída ao uso de dispositivos como celulares, tablets ou eReaders, mesmo que alguns passageiros tenham "esquecido" de desligá-los após o aviso de segurança.

O risco de interferências causadas por aparelhos que utilizam sinais eletromagnéticos é a desculpa mais utilizada pelos órgãos reguladores da aviação. Segundo os órgãos, tais sinais podem prejudicar a comunicação entre aeronave e solo em procedimentos mais sensíveis como decolagem e pouso, e eventualmente podem causar a queda do avião.

Mesmo assim, o repórter do New York Times aponta um estudo inconclusivo de 2006 que não mostrou qualquer efeito negativo dos aparelhos sobre os aviões e nem provou que a possibilidade realmente existe.