A tecnologia por trás de equipamentos retrô

Por Colaborador externo | 09 de Setembro de 2014 às 14h10
photo_camera Reprodução

Mesmo com a evolução tecnológica e dos diferentes aparelhos disponíveis no mercado, o tradicional toca-discos que ganhou o mundo no século passado está de volta ainda melhor. Além de toda a bela estética retrô, é possível encontrar vitrolas com tecnologia de ponta, nas quais é possível colocar para rodar os famosos bolachões e ainda aproveitar os mesmos equipamentos para curtir os gadgets mais comuns que utilizamos para ouvir música atualmente.

Agora é possível deixar a clássica bolacha de vinil rodando na vitrola e, quando você não quiser mais ouvir esse disco, conectar um pen drive em sua entrada USB, ou mesmo parear um smartphone por bluetooth, além de poder usar um cabo auxiliar. Tudo isso incluindo a possibilidade de ouvir também seus cds e fitas K7 no mesmo aparelho. Existem até toca-discos com conversor digital para iPhone e iPad, que gravam as faixas do vinil diretamente em dos aparelhos da Apple.

Curiosidades históricas

Em 1877, Thomas Edison se desdobrava em um projeto para capturar e reproduzir o som. Então ele encaixou uma agulha no diafragma de um receptor de telefone, com a ideia fixa de gravar a impressão de um som. Captura, ok. Mas, e a reprodução?

Edison sabia que o som nada mais é do que vibração de partículas em um meio, como o ar, formando ondas. Foi assim que ele pensou em uma segunda agulha, que pudesse converter as vibrações gravadas em uma folha metálica em novas vibrações sonoras. Nascia o fonógrafo, primeiro aparelho capaz de gravar e também reproduzir sons.

Dez anos depois que Edison deixou o fonógrafo em segundo plano por causa de dificuldades técnicas para sua produção. Um inventor alemão chamado Emilie Berliner decidiu então dar uma olhada mais aguçada nessa invenção. Ele desenvolveu um mecanismo movido a manivela que fazia um disco de borracha dura girar, e o mundo conheceu o gramofone. Ele não era capaz de gravar sons como o seu antecessor concebido por Thomas Edison, mas mudou a maneira do mundo ouvir música até a invenção do MP3.

Berliner criou a Gramophone Company, que produziu os primeiros aparelhos que tocavam os discos e também fabricava os discos. Depois da parceria com o inventor Eldridge Johnson, o gramofone passou por algumas evoluções para ocupar menos espaços nas casas e recebeu o nome de Victrola, que invadiu os lares pelo mundo afora e teve sua continuidade comprometida e até questionada recentemente em razão das novas opções para se ouvir música. Mas ela foi reinventada, segue firme e tem muito artista investindo no segmento e lançando seus trabalhos em vinis. Melhor para os amantes dos bolachões, que não precisam abrir mão dessa paixão e ainda podem se beneficiar das novidades tecnológicas.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.