Waze demite 5% de seus funcionários; América Latina é atingida

Waze demite 5% de seus funcionários; América Latina é atingida

Por Redação | 10 de Setembro de 2020 às 13h50
Divulgação/Waze

Bastante popular no Brasil, o Waze não vem passando seus melhores momentos.Isso porque o serviço online de navegação - hoje sob controle do Google - anunciou nesta quinta-feira (10) que demitirá 5% de seus funcionários globalmente. Isso equivale a 30 pessoas de um total de 555 colaboradores.

Além desses cortes, escritórios da empresa nas regiões Ásia-Pacífico e América Latina serão fechados. Isso incluirá filiais da Malásia, Cingapura, Colômbia, Chile e Argentina. Com isso, o Waze focará seus esforços em mercados onde seus negócios estão mais prósperos, como Brasil, México, Canadá, EUA, Reino Unido e França.

Das 30 pessoas que foram dispensadas, a maioria pertence às divisões de vendas, marketing e parcerias do Waze. Mas isso não será uma redução permanente no quadro de funcionários: o Waze afirma que planeja contratar um número proporcional de pessoas para suas equipes de tecnologia e engenharia nos próximos meses.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Pandemia

Em e-mail enviado pelo seu CEO, Noam Bardin, a seus funcionários (que você pode ler na íntegra ao final dessa notícia), o Waze afirmou que as demissões foram, em parte, devido à pandemia do coronavírus, que esvaziou estradas em todo o mundo e deixou muitas cidades fechadas. Como permanecer mais tempo em casa (incluindo o home office) se tornou a nova norma, menos pessoas estão usando o Waze para suas necessidades diárias de navegação. Logo, um uso menor do aplicativo significa menos receita de publicidade para a companhia.

Noam Bardin, CEO do Waze: app foi atingido pela Covid-19 (Foto: Arquivo pessoal / LinkedIn)

De origem israelese, o Waze foi adquirido por pouco mais de US$ 1 bilhão pelo Google em 2013. O app registrou queda tanto no número de usuários ativos mensais, quanto nos quilômetros rodados. Essa última é a métrica pela qual a empresa mede o quanto os clientes dirigem enquanto usam o aplicativo. Ainda em abril deste ano, pico da pandemia do coronavírus em muitos países, o Waze publicou em seu blog a queda sensível de alguns desses números. Globalmente, a empresa afirma que seus usuários estavam dirigindo 60% milhas em março, quando os bloqueios começaram a entrar em vigor, em comparação a fevereiro. A Itália, por exemplo, registrou a maior queda: 90%. Os EUA também caíram cerca de 60%.

No entanto, quanto mais a pandemia se prolongava, mais os esses números pioravam. Em momentos mais críticos, o Waze afirmou que os quilômetros rodados semanais globais a partir do seu app caíram 70%.

Recuperação lenta (menos para o Waze Carpool)

Desde junho no entanto, os números do Waze começaram a se recuperar. Isso porque, em muitos países, as pessoas passaram a sair mais de casa, principalmente para trabalhar, já que o lockdown foi suspenso com a queda dos números de contágio por COVID-19. Com isso, a empresa afirma que, globalmente, seus índices de uso estão de volta ao período pré-COVID. "O Waze repensará as prioridades”, afirmou Noam Bardin no e-mail, “Decidimos concentrar nossos recursos em melhorias de produtos para nossos usuários, acelerar nossos investimentos em infraestrutura técnica e redirecionar nossos esforços de vendas e marketing para um pequeno número de países de alto valor”.

Waze Carpool: um dos serviços mais afetados pela pandemia (Foto: divulgação)

Um das soluções mais atingidas pela pandemia é o Waze Carpool, o serviço de compartilhamento de caronas da empresa e que foi lançado há dois anos. Isso porque, com mais pessoas em regime de home office, menos elas estão usando o Carpool para compartilhar viagens com colegas de trabalho ou outros vizinhos que trabalham em rotas ou regiões semelhantes. Como resultado, o Waze está reduzindo o número de pessoas que trabalham nessa divisão. No início deste ano, o Carpool estava a caminho de ultrapassar a marca de um milhão de viagens mensais globalmente. Agora, a plataforma não estaria nem perto disso.

Mobilidade atingida

Se a pandemia impulsionou os negócios alguns setores do mundo da Tecnologia, como, por exemplo, o e-commerce ela atingiu seriamente outros segmentos, principalmente os de Mobilidade e Turismo. Além do Waze, Uber, Lyft, Yelp, Airbnb e Lime foram afetados. Outras companhias, como Mozilla e Kickstarter também sofreram os efeitos.

O Waze afirma que está ciente de que demitir pessoas no meio de uma pandemia pode ser cruel. No entanto, a empresa diz que está comprometida em fornecer aos trabalhadores que estão sendo dispensados um generoso pacote de benefícios, que inclui indenizações, bônus e seguro saúde até o início de 2021.

Confira abaixo a carta enviada por Noam Bardin, CEO da Waze, a seus funcionários, falando sobre as dispensas:

Caros Wazers,

Com a pandemia de COVID-19 em andamento, muitas cidades e países impuseram restrições de viagem para conter a propagação da doença, então não é surpresa que nossos usuários estejam dirigindo menos (ou tenham parado completamente), levando a uma queda significativa nos quilômetros percorridos, caronas e receita de anúncios [no Waze].

Isso nos forçou a repensar as prioridades e decidimos concentrar nossos recursos em melhorias de produtos para nossos usuários, acelerar nossos investimentos em infraestrutura técnica e redirecionar nossos esforços de vendas e marketing em um pequeno número de países de alto valor. Esses investimentos garantem o sucesso de longo prazo do Waze e que sairemos dessa pandemia mais fortes do que entramos.

Sempre me esforcei para manter uma cultura transparente no Waze, então quero compartilhar com vocês que, para continuar e acelerar nosso investimento em engenharia e outras posições técnicas, decidi fechar 30 funções em outras partes do Waze. Lamento que este e-mail esteja chegando tão tarde, mas eu queria ter certeza de que entramos em contato com todos os funcionários afetados primeiro.

Em um nível superior, estas são as áreas impactadas:

Equipe de vendas de anúncios: a equipe de anúncios será reduzida e se concentrará nos principais mercados, que geram 93% da receita e carregam 95% dos KMDs que vendemos. Isso significa que fecharemos os escritórios de vendas locais na Ásia-Pacífico ( Cingapura, Indonésia, Filipinas, Malásia) e mercados menores da América Latina (Colômbia, Argentina, Chile). Continuaremos atendendo a esses países por meio de maiores investimentos no Waze Local Starter, com o suporte de nossas equipes de SMB (sigla em inglês para Pequenos e Médios Negócios) em nossos principais centros de vendas.

Equipe de parceria: a incerteza dos planos de retorno ao trabalho de nossos parceiros empregadores e com os funcionários continuando a trabalhar em casa significa que diminuiremos a equipe de parcerias do Carpool. Nosso foco de produto mais estreito também significa que vamos reduzir nossas parcerias de produtos e equipes dos setores público e privado.

Equipe de marketing: O foco em menos mercados e ajustes em nossos investimentos de parceria significa que estaremos reduzindo o tamanho da equipe de marketing.

Equipe de marketing de desempenho: estamos fazendo investimentos em produtos para apoiar nossos esforços de crescimento e reestruturando a equipe de marketing de desempenho para realinhar esses esforços.

Deixar os Wazers irem é um processo extremamente doloroso para todos nós. Quero deixar claro que essas reduções estão sendo feitas devido aos constrangimentos criados pela pandemia e para apoiar os investimentos em nossas áreas de foco, e não por causa das ações ou desempenho de ninguém.

A saída dos Wazers foi uma parte crítica do nosso crescimento até agora e é importante cuidarmos daqueles que estão saindo da melhor maneira possível. Nosso objetivo é tentar ajudar o máximo possível e facilitar esse processo para eles. Fizemos o nosso melhor para apoiar as pessoas afetadas com um pacote de indenização que inclui:

Transição de carreira: as equipes de mobilidade interna do Google têm trabalhado conosco e ajudarão todos os funcionários afetados a buscar oportunidades no Google.

Serviços de recolocação: estaremos oferecendo serviços de recolocação a todos os funcionários afetados a partir da data do aviso até seis meses após o emprego.

Financeiro: dadas as circunstâncias do ano, trabalhamos em estreita colaboração com as equipes internas de RH para garantir que todos tenham sido atendidos até o início de 2021 e tenham direito aos bônus de final de ano.

Saúde: Estamos dando a cada funcionário afetado o maior número possível de benefícios contínuos, de acordo com a legislação local.

Peço que todos ajudem de todas as maneiras que pudermos e apoiem nossos colegas, tanto destacando funções internas no Google que podemos conhecer, quanto oportunidades externas que podemos conhecer.

Quero agradecer a todos os membros da equipe impactada - o Waze se tornou o que é por causa de suas contribuições. Essas mudanças estão acontecendo devido a uma pandemia global e nada disso é culpa sua. Não temos dúvidas de que você trará seus talentos para uma nova equipe e os ajudará a se tornarem ainda melhores, como você fez no Waze.

Obrigado.

Noam

Fonte: The Verge  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.