Não contrate profissionais de TI dessa forma

Por Fernando D´Angelo | 25 de Maio de 2021 às 10h00
iStock

Em plena era da Transformação Digital existem inúmeras empresas que ainda não sabem como estruturar uma área de TI e como contratar profissionais deste setor. Recentemente me deparei com um anúncio de vaga no LinkedIn em busca de um “Especialista de TI Pleno-Sênior” e que me lembrou de Mike Wazowski, protagonista do filme Monstros S.A., que dizia:

“...eu não sei se vocês sacaram... mas eu notei uma porção de falhas...”.

Para falar a verdade, ainda não entendi qual é o real objetivo da vaga abaixo. Parece-me uma posição de "Full stack Manager Support Security Infrastructure Coach Architect Specialist TI Developer". Tenho a impressão de que estão procurando um profissional que “sabe muito de tudo” para se tornar responsável por tudo que ninguém sabe direito como funciona.

Esse tipo de anúncio não só corrobora os diversos comentários que recebi em outras matérias, onde li críticas sobre a falta de foco e a quantidade absurda de exigências e conhecimentos desejados nos anúncios de vagas da área, mas também demonstra total falta de preparo e visão sobre o novo papel do TI nas organizações.

Abaixo listo as 10 maiores falhas que identifiquei no anúncio acima:

  • Especialista de tudo: Se o profissional é um especialista, então ele é um especialista. Ponto. E assim, possui conhecimentos aprofundados dentro de um assunto específico e não da área de TI toda. Não existem “Especialistas em TI” como um todo. Ou, se existem, são como os patos: não nadam direito, não voam direito, não correm direito.

  • Falta de um objetivo claro: Esse anúncio não deixa claro qual será o papel do profissional. A impressão que dá é de que a área de TI para esta empresa continua sendo o “Departamento de Informática”, mas com mais responsabilidades. Faltou apenas mencionarem que seria bom ter conhecimentos em manutenção de impressoras também.

  • Sopa de letrinhas: Bons profissionais de TI não possuem conhecimento em toda a sopa de letrinhas da área, e sim conhecimentos mais sólidos em poucos assuntos e tecnologias. Exigir profissionais com tantos conhecimentos só piora o processo seletivo e diminui a possibilidade de contratação de bons funcionários, atraindo muitos candidatos que acreditam que conhecem muito de muitos assuntos, mas, na verdade, só estão enxergando a TI de uma forma superficial.

  • Exigência de um alto nível em tudo: profissionais que possuem uma carreira bem focada possuem conhecimentos avançados de poucos assuntos, que, normalmente, são interligados. Se ele realmente é muito bom em análise e desenvolvimento de sistemas, por exemplo, ele provavelmente conhecerá os assuntos adjacentes de uma forma mais superficial.

  • Responsabilidades muito variadas: trabalhar com TI exige foco e objetivos claros. Quando uma mesma pessoa é responsável por tantas dimensões da área de TI, como citado no anúncio, este profissional não fará nada bem feito e nem até o final. Seja por falta de tempo, por falta de conhecimento, por stress ou por serem áreas que exigem formas de raciocínio muito diferentes entre si, atrapalhando o “flow” mental.

  • Não divulgar faixa salarial: essa talvez seja um dos pontos mais polêmicos, pois o setor de TI está com falta de profissionais e os bons estão bem empregados. Assim, se por um lado não divulgar a faixa salarial afasta o interesse de possíveis bons candidatos - que imaginam se tratar de mais uma das inúmeras vagas que exigem muito conhecimento e responsabilidade oferecendo baixos salários - de outro lado divulgar a faixa salarial pode atrair muita gente despreparada para o cargo, mas, com ambição de bons salários.

  • Exigir mais responsabilidades e conhecimentos do que o cargo ofertado: a área de TI tem muita divergência quanto as habilidades e conhecimentos exigidos para cada nível de conhecimento (estágio, júnior, pleno, sênior, especialista, líder técnico, etc). E este anúncio demonstra de forma exacerbada essa questão ao anunciar uma vaga para "Especialista em TI de nível Pleno-Sênior" com todas as habilidades muito avançadas. É muita exigência para alguém neste nível. Pelo menos não estavam solicitando um “Estagiário” com todos esses conhecimentos, o que é muito comum de ver nos anúncios.

  • Copiar-colar de outras vagas: este anúncio, na verdade, parece um enorme COPIAR-COLAR de vagas anunciadas por outras empresas e que foi criado sem muito cuidado ou sem a devida atenção. Será pior para a empresa, que não saberá entrevistar os candidatos e garantir que eles realmente possuam competências para assumir o cargo desejado, podendo contratar gato por lebre.

  • Aparente falta de planejamento de TI: cada vez mais a área de TI tem papel essencial nas empresas e não possuir um planejamento do setor (mesmo que mínimo) impacta diretamente na qualidade dos profissionais contratados (entre outras questões). É necessário definir os objetivos e visão estratégica da área, os papéis e responsabilidades de cada cargo, as competências e perfis desejados, o plano de evolução de carreira e de conhecimentos, as tecnologias a serem utilizadas, etc. Não ter esse planejamento é como dirigir um carro à noite, de faróis apagados, em uma estrada de mão dupla não-sinalizada. É certeza de problemas sérios.

  • Não ter um RH preparado ou uma assessoria especializada: contratar profissionais de TI é complexo. Isso porque há uma série de competências técnicas exigidas que, normalmente, são distantes e verdadeiras desconhecidas das áreas de RH. Além disso, há uma série de capacidades e habilidades relacionadas ao perfil do profissional que são exigidos atualmente - tais como habilidades de relacionamento, liderança, comunicação, análise, síntese e raciocínio lógico, entre outros - que são muito distantes de muitas lideranças de TI. Por isso, o RH deve se tornar parceiro da área de TI e permitir uma simbiose ganha-ganha, que tem como resultado bons anúncios, bons processos seletivos, boas contratações e consequente aumento da qualidade das entregas de TI e maior permanência dos profissionais na empresa.

Enfim... cuidado ao anunciarem vagas de TI. Para os bons profissionais é muito fácil identificar quando a empresa anunciante não possui uma visão estratégica. E com a alta oferta de vagas muito atraentes e que valorizam os bons profissionais, você não terá sucesso na contratação.

Neste artigo, para facilitar a leitura, optei por trazer apenas críticas relacionadas a falhas comuns em anúncios de vagas para a área, mas estou trabalhando em outro artigo que vai complementar este e trazer orientações a respeito de como fazer um bom processo seletivo.


Espero ter ajudado e até o próximo artigo.

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.