Empresas brasileiras de TI demitiram mais do que contrataram em 2015

Por Redação | 28 de Julho de 2016 às 10h17

Saiu o Censo de TI 2015, levantamento que, neste ano, revela que as empresas brasileiras do segmento demitiram um maior número de funcionários do que contrataram. A pesquisa foi realizada pela Assesspro Nacional em parceria com a Federação Iberoamericana de Entidades de Tecnologia da Informação e Comunicações (Aleti) e consultou 950 empresas de 23 países em quatro continentes.

Segundo o relatório, as contratações feitas no ano passado no Brasil acabaram acontecendo apenas par repor mão de obra, quando algum funcionário pediu demissão ou acabou sendo demitido, não abrindo novos postos de trabalho. Na América Latina, 28% das organizações não variaram a força de trabalho e outras 15% tiveram um crescimento em seu quadro de funcionários de até 10% no total de empregados. No Brasil, 31% das empresas de TI registraram mais demissões do que contratações e outras 30% ficaram estáveis, não contratando nem demitindo.

Das empresas latino-americanas que contrataram mão de obra adicional, 57% incluíram até oito funcionários às suas equipes, enquanto 12% não aumentaram o quadro de funcionários. Já no Brasil, 58% dos entrevistados contrataram até oito pessoas, enquanto 15% não fizeram nenhuma aquisição no mercado de trabalho.

E por falar em mercado de trabalho de TI no Brasil, de acordo com a Associação para a Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), o país pode ter um déficit de até 408 mil profissionais até 2020. Já a Code.org prevê que nesse mesmo período 1,4 milhão de vagas sejam abertas em todo o mundo - mas apenas 400 mil delas serão preenchidas.

Fonte: Convergência Digital

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.