Bill Gates vai se reunir com Donald Trump nesta segunda e ninguém sabe o porquê

Por Redação | 19 de Março de 2017 às 16h16

Bill Gates confirmou neste fim de semana que irá se reunir com o presidente Donald Trump nesta segunda-feira (20), mas não revelou qual será a agenda do encontro.

Obviamente, a não-divulgação da pauta da reunião fez muita gente se perguntar o que o antigo chefão da Microsoft tem a discutir com o presidente norte-americano. Em um comunicado divulgado neste domingo (19), a Fundação Bill & Melinda Gates deu uma pista:

"A Fundação tem um extenso histórico de colaboração com o Governo para solucionar prioridades em comum, como a saúde global e a educação e desenvolvimento do país", disse a organização. "Bill irá se reunir com os líderes do congresso e membros da administração [do presidente Trump] para debater os progressos feitos até aqui nessas áreas e o papel crítico e indispensável que os Estados Unidos têm desempenhado no cumprimento dessas metas".

Os dois antigos empresários já haviam se encontrado em dezembro para debater assuntos relacionados a inovação. Gates se mostrou otimista após a reunião com o àquela época recém-eleito presidente e disse acreditar que o governo iria "organizar as coisas derrubando barreiras regulatórios" e fazer os Estados Unidos "se destacarem por intermédio da inovação".

Outro assunto que pode ser debatido pelo filantropo é investimentos e pesquisas em combustíveis limpos, mesmo que Trump já tenha deixado claro que, para ele, o aquecimento global é história para boi dormir. Apesar disso, Gates anunciou no fim do ano passado um investimento de US$ 1 bilhão na Breakthrough Energy Ventures em parceria com outros figuras como Jeff Bezos e Michael Bloomberg.

Com o assunto em pauta, Gates provavelmente tentará convencer Trump de que cortar o orçamento destinado à Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) não é algo inteligente. Se ele vai conseguir, isso é outra história.

Bill Gates é um dos poucos executivos de alto escalão que ainda tentam manter algum diálogo com o presidente Donald Trump. Escolhido para fazer parte do conselho econômico de Trump, o cofundador e CEO da Uber Travis Kalanick abandonou o posto em fevereiro. Outros chefões do Vale do Silício têm preferido se manter distantes do governo desde uma reunião que ocorreu na Trump Tower, em Nova Iorque, em dezembro.

Além de Gates, Elon Musk, CEO e cofundador da Tesla e da SpaceX, também mantém uma agenda regular de reuniões com o presidente. Apesar disso, Musk já foi ridicularizado por Trump por insistir em assuntos relacionados a inovação e desde então não voltou a falar publicamente sobre tais reuniões.

Fonte: Quartz

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.