Kim Dotcom processa governo da Nova Zelândia e exige indenização milionária

Por Redação | 17 de Setembro de 2013 às 09h15

Kim Dotcom resolveu processar o governo da Nova Zelândia pela invasão ilegal da sua mansão e pela vigilância realizada contra ele. O jornal The New Zealand Herald confirma que o fundador do Megaupload exige o equivalente a cerca de US$ 4,85 milhões (cerca de R$ 11 milhões) de compensação pela invasão de sua privacidade. Os documentos legais apresentados à Suprema Corte alegam uma "abordagem excessivamente agressiva e invasiva" contra Dotcom por parte das autoridades.

O hacker/empresário também alega que a operação controversa em sua mansão foi precedida por meses de vigilância por parte do Departamento de Comunicação e Segurança da Nova Zelândia (GCSB) com a intenção de repassar informações sobre ele aos Estados Unidos. O processo foi aberto no início do ano, mas só veio a público agora.

Para Dotcom, essa ação é uma oportunidade de mostrar ao mundo que os Estados Unidos conspiraram para espioná-lo usando ferramentas da Agência de Segurança Nacional (NSA) reveladas por Edward Snowden. "Meu processo judicial vai mostrar a verdade sobre o uso do X-Keyscore, Prism e Five Eyes para espionar os neozelandeses. A verdade virá à tona", disse ao Ars Technica.

A denúncia oficial alega que a agência de espionagem da Nova Zelândia começou a vigilância ilegal contra Dotcom e seus sócios em 16 de dezembro de 2011. Na ação judicial, Dotcom descreve detalhes sobre o ataque à sua residência, que foi realizado por policiais armados que chegaram em dois helicópteros e uma série de carros quebrando as portas da casa.

"Ao longo da operação, a polícia apresentou pouco ou nenhum respeito aos direitos e necessidades dos ocupantes da propriedade, e lidou com eles de uma forma muito agressiva, opressiva e intimidadora, com a intenção de causar sofrimento desnecessário significativo, ansiedade e medo", diz a queixa.

No início deste mês, Dotcom anunciou que está deixando o cargo de diretor do Mega, serviço de hospedagem na nuvem lançado no início deste ano. O empresário decidiu liberar tempo na sua agenda para gerir outros projetos, incluindo algumas batalhas judiciais que ainda estão em curso, suas novas aspirações políticas e sua nova plataforma de música. O empresário, que está em liberdade sob fiança, ainda está lutando contra a extradição para os Estados Unidos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.