Jeff Bezos, CEO da Amazon, é eleito o pior chefe do mundo

Por Redação | 26.05.2014 às 13:30

"Uma rica companhia norte-americana que opera globalmente com desdém pela dignidade e direitos das pessoas que trabalham". Foi assim que Sharan Burrow, secretária geral do CSI (Congresso Internacional de Sindicatos), definiu a Amazon na terceira edição do evento em Berlim, Alemanha, na última quinta-feira (22).

O congresso também realizou o primeiro prêmio "World's Worst Bosses" (Os Piores Chefes do Mundo) que teve mais de 20 mil votos do público na Internet distribuídos entre 9 candidatos. Entre eles, o homem do ano (de 1999) da revista Time: Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon.

Embora a varejista tenha registrado crescimento de 22% nas vendas no primeiro trismetre desse ano, aspectos relacionados a evasão fiscal e má condições de trabalho (como andar quase 24 km por dia nos armazéns da empresa) colocam a gestão de seu líder em xeque.

"Em sua operação na Alemanha, a Amazon tem tratado seus funcionários como robôs. A companhia não faz questão de esconder que daqui a alguns anos substituirá todos os trabalhadores por máquinas", declarou Burrow.

De acordo com a publicação feita na página do evento, as más condições de trabalho na unidade alemã fizeram com que ambulâncias estejam sempre de prontidão do lado de fora do armazém.

A terceira edição do evento reuniu 1,5 mil representantes de empresas de 161 países de várias áreas da indústria. O CSI afirma representar 180 milhões de funcionários.