Novo programa de pontos do Mercado Livre permite comprar com frete grátis

Por Redação | 10.05.2017 às 14:08
photo_camera Divulgação

O Mercado Livre acaba de lançar um programa de pontos para fidelizar ainda melhor os seus clientes. Chamado de “Mercado Pontos”, o programa oferece pontos para o usuário sempre que comprar, vender e, até mesmo, favoritar produtos. Esses pontos podem ser usados para anular o valor do frete em novas compras.

Funciona assim: ao acessar a página do Mercado Pontos, o usuário aceita participar do programa e, imediatamente, já é agraciado com 20 pontos, de um total máximo de 100 permitidos. Enquanto estiver no nível 1, o usuário pode ganhar frete grátis para compras que custarem a partir de R$ 120. À medida em que os pontos passam dos 100, o usuário sobre para o nível 2 e, com 300 pontos, atinge o nível 3. Nessa etapa, o comprador pode conseguir o frete grátis em compras a partir de R$ 110.

A partir daí, existem os níveis 4, 5 e 6, que, respectivamente, oferecem o frete grátis para compras que superem os valores de R$ 100, 90 e 80. Os pontos são acumulados a cada nova compra (recebendo 1 ponto a cada R$ 2 gastos), mas pontos também são distribuídos quando o usuário adicionar produtos a seus favoritos, acessar o serviço pelo aplicativo do celular, fazer compras e vendas, utilizar um cartão de crédito nas suas compras, optar pelo Mercado Envios e comprar de uma loja oficial.

Segundo os termos de uso do programa, o benefício do frete sem custos somente será válido para produtos que estiverem marcados como “Frete Grátis - Benefício Mercado Pontos”, não valendo para os demais produtos disponíveis no serviço. E os pontos (que não possuem valor em dinheiro), têm um ano de validade.

Emprestando um dinheirinho

Além dessa novidade, o Mercado Livre também está emprestando dinheiro para vendedores. A notícia foi apurada pelo Estadão, e informou que essa ação está sendo feita em parceria com instituições bancárias. O serviço foi testado durante nove meses com vendedores na Argentina, chegando ao Brasil nesses últimos dias.

Com informações de: Mercado Livre, Estadão