Netshoes faz reestruturação para aproximar área de TI de decisões de negócio

Por Rafael Romer | 01 de Março de 2017 às 17h50

O grupo latino-americano do setor de e-commerce Netshoes concluiu recentemente uma reestruturação completa de sua área de TI, que deve aproximar agora os times de tecnologia da companhia a suas áreas de negócio.

"Era o velho desejo de qualquer gestor de tecnologia: fazer com que a TI seja muito mais participante do resultado da empresa do que simplesmente uma TI dos anos 90, focada em suportar a operação, mas não necessariamente fazer com que ela ande", explicou por André Petenussi, diretor de TI do grupo Netshoes.

Liderada Petenussi, a reestruturação incluiu a unificação de subáreas de TI que antes atuavam separamente, incluindo Produto, Desenvolvimento de BackEnd e de FrontEnd, com o objetivo de trazer mais escalabilidade, sinergia e alinhamento estratégico para os projetos do time. O processo teve início no ano passado e foi, em grande parte, inspirado no modelo de TI de empresas como Spotify, Netflix e Airbnb.

Apesar de não demandar adoção de novas tecnologias, a reestruturação exigiu uma mudança de cultura da equipe de TI, que passou a ser reorganizada em times orientados vertical e horizontalmente – os chamados "squads" –, com o objetivo de enfrentar problemas pontuais com mais agilidade.

De acordo com Petenussi, "squads" são agora empregados pela empresa para agir sobre features especificas do negócio, – como catálogo, ferramentas de marketing, SEO, marketplace, etc – reunindo colaboradores com especialidades diferentes para atuar sobre projetos menores com mais velocidade.

"Toda essa mudança tem feito com que a gente participe mais dos resultados da empresa e seja mais relevante para o negócio, contribuindo com mais valor no dia-a-dia", avaliou o diretor.

O movimento permitiu ainda aos membros do time de TI, que contabiliza hoje cerca de 270 pessoas, trabalharem com mais autonomia, o que tem estimulado a criatividade interna e incentivado a inovação por parte dos colaboradores.

Segundo o diretor de TI do grupo, um exemplo prático dos resultados da nova estrutura de TI é a ampliação da capacidade de experimentação da empresa, que tem promovido mais testes periódicos de novos produtos ou funções.

Apelidados de testes A/B, a prática consiste na elaboração de duas ou mais versões de uma inovação necessária para as plataformas da organização, que são testadas simultaneamente entre grupos diferentes de usuários dos sites da empresa. No final do período de testes, a versão responsável pelos melhores resultados, com base nas estatísticas coletadas, é implementada no serviço.

Entrando em 2017 com a reestruturação completa, a empresa busca agora fortalecer o desenvolvimento de novas plataforma internas para atender à necessidades de negócios das lojas próprias Netshoes e Zattinim, além dos 20 e-commerces que opera na região, como as lojas oficiais de clubes brasileiros, argentinos e da NBA, NFL e UFC.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.