E-commerce vai na contramão do varejo físico e cresce no país

Por Redação | 09 de Dezembro de 2016 às 20h47

Embora o varejo brasileiro tenha continuado em uma trajetória de baixa em outubro, as vendas via comércio eletrônico cresceram 15% no período, melhor desempenho do segmento nos últimos 12 meses.

A informações é do indicador de varejo Mastercard, que também viu um crescimento no trimestre de agosto a outubro, vendendo 12,3% a mais que os valores registrdos no mesmo período em 2015. Segundo a Mastercard, foram quatro meses seguidos de resultados positivos de julho a outubro.

Os setores do e-commerce que se destacaram em outubro foram artigos farmacêuticos e vestuário, enquanto eletrônicos, móveis e hobby e livrarias tiveram resultados abaixo das vendas do canal.

Para fins de comparação, as vendas totais do varejo brasileiro - incluindo lojas físicas e virtuais - caíram 6,5% em outubro na comparação com o mesmo período de 2015, fazendo com que o desempenho dos últimos três meses comparados ao mesmo período do ano anterior tenha caído 4,4%.

Quatro setores tiveram resultados acima das vendas totais: vestuário, materiais de construção, produtos farmacêuticos e artigos pessoais e domésticos. Em baixa, estiveram setores como os de supermercados, combustíveis, móveis e eletrônicos.

Por outro lado, a pesquisa constatou uma melhora na confiança do consumidor, índice que teve um crescimento pelo quinto mês consecutivo em outubro, embora a taxa de desemprego permaneça razoavelmente alta.

"A taxa de desemprego continua a ser um problema para a economia, embora uma maior confiança do consumidor possa aliviar um pouco as perspectivas", afirma Kamalesh Rao, diretor de pesquisas econômicas da Mastercard Advisors.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.