E-commerce registra menor taxa de crescimento desde 2001

Por Redação | 16 de Fevereiro de 2017 às 23h35

Os resultados de uma avaliação quantitativa de mercado feita pela Ebit — consultoria do Grupo Buscapé especializada em comércio eletrônico que monitora o mercado — estão preocupando aqueles que trabalham com e-commerce: desde 2001, o ano de 2016 foi o que registrou menor crescimento. Foram 7,4% de crescimento (sem descontar a inflação), movimentando R$ 44,4 bilhões.

Apesar do avanço em plena crise e recessão econômica, o percentual é baixo se comparado com os dos anos anteriores (15% em 2015, 25% em 2014). Esta foi a primeira vez nestes anos todos que o comércio eletrônico brasileiro deixa a casa dos dois dígitos.

No entanto, diante do crescimento relativamente tímido, o setor ganhou com o número de consumidores que fizeram ao menos uma compra na internet, que aumentou 22%, totalizando 47,9 milhões de compradores. Tal avanço, segundo a Ebit, foi impulsionado pelo acesso do brasileiro ao e-commerce via dispositivos móveis.

Para traduzir essa tendência, a Ebit informa que 21,5% das compras via internet foram feitas via Mobile. Em 2015, esse número foi de apenas 12,5%.

Já em 2017, o faturamento do e-commerce deve registrar um crescimento nominal de 12 por cento, para 49,7 bilhões de reais. “O primeiro e o segundo trimestres ainda devem ser fracos, mas no terceiro e no quarto trimestres o varejo deve começar a reagir e o e-commerce pega carona nisso”, disse Pedro Guasti, presidente da consultoria.

Para concluir a pesquisa, foram analisadas 5% das transações feitas em 7 mil lojas virtuais monitoradas pela Ebit.

Via Reuters

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.