Dominação global de celulares e tablets acompanha crescimento do m-commerce

Por Felipe Demartini | 23 de Fevereiro de 2018 às 16h12
photo_camera Divulgação

A cada duas compras realizadas em todo o mundo por meio de sites de comércio eletrônico, uma pode ter sido realizada por meio de celulares e tablets. É o que mostra uma pesquisa divulgada pela Criteo, que revelou que, no terceiro trimestre do ano passado, 44% das negociações feitas em sites de e-commerce aconteceram por via mobile (o chamado "m-commerce"), um crescimento que acompanha a dominação desse tipo de dispositivo em todo o mundo.

Os dados da empresa de inteligência de mercado se dividem entre aplicativos e navegação web – 16% das transações online foram feitas por softwares das próprias lojas, enquanto os 28% restantes aconteceram por meio de navegadores. O total representa um aumento de 51% no volume de compras desse tipo em todo o mundo, mantendo o crescimento a passos largos que vem ocorrendo ao longo dos últimos anos.

No Brasil, a tendência também se reflete. Números da Real Trends, que trabalha com análise e gestão para vendedores do Mercado Livre, apontam que cerca de 60% de todas as compras realizadas no site de vendas e leilões acontecem por meio de celulares e tablets. Há cinco anos, esse total era de apenas 10% - mais uma vez, crescimento explosivo e uma tendência que deve continuar a existir também por aqui.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Essa tendência também se reflete na venda de dispositivos em si. Novamente de acordo com dados do Mercado Livre, a procura por tablets caiu 13% entre janeiro e fevereiro de 2018, enquanto aumentou a busca por dispositivos destacáveis, que também fazem as vezes de notebook. O Surface da Microsoft, por exemplo, teve um aumento de 43% na procura, enquanto a busca pelo iPad Pro, seu principal rival, fabricado pela Apple, permaneceu inalterada.

São diversos os fatores que contribuem para resultados desse tipo – a integração entre plataformas em termos de design e funcionalidades, a facilidade de uso e, acima de tudo, um crescimento na confiança com relação à segurança desse tipo de recurso. Acima de tudo, entretanto, a presença massiva desse tipo de dispositivo nos bolsos e no imaginário dos usuários é o grande motor para o crescimento.

Javier Goilenberg, co-fundador da Real Trends, também enxerga as possibilidades exclusivas desse tipo de plataforma como um motivador para mais aumento nos números. A realidade aumentada, por exemplo, permite observar como uma tinta ficará quando aplicada na parede, ou entrega uma noção de como aquele vestido desejado ficará no corpo da cliente. “[São] sensações, até agora, nunca vistas na hora de comprar online, que continuarão contribuindo para o crescimento do e-commerce”, completa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.