Rastreadores de encomendas: os melhores amigos de quem compra online

Por Felipe Demartini | 19 de Fevereiro de 2014 às 10h30

Os Correios anunciaram para maio a implementação de um sistema de notificação de entrega de cartas registradas e encomendas por SMS. Já em funcionamento em algumas cidades do Brasil, a novidade vai permitir que o próprio carteiro notifique o destinatário sobre a entrega de sua encomenda. Os avisos poderão ser transmitidos por meio do smartphone ou uma central eletrônica que, por sua vez, emite as mensagens de texto tanto para o remetente quanto para o destinatário.

O que muita gente pode não saber é que sistemas como esses já estão em funcionamento há pelo menos quatro anos. Apesar de não usarem SMS, eles também estão disponíveis para telefones celulares e tablets. Todos utilizam a mesma interface de rastreio disponibilizada oficialmente pelos Correios, mas, claro, adicionam funções extras a ela. As notificações, por exemplo, vêm por email e é o próprio usuário quem realiza o cadastro e gerenciamento dos pacotes.

Brincadeira que virou cartão de visitas

O Muambator é um dos maiores e mais tradicionais sistemas desse tipo disponíveis no Brasil. A obra do desenvolvedor de software Cícero Raupp Rolim conta hoje com mais de 249 mil usuários e processa 4,5 milhões de pacote todos os anos. É a solução preferida dos viciados em compras online, principalmente entre aqueles que preferem as lojas internacionais.

Muambator

O Flecha (acima) é o mascote do Muambator

A ideia descompromissada surgiu no início de 2010, em um final de semana, enquanto Rolim ainda estudava algumas linguagens de programação, como o Python. O desenvolvedor e outros amigos costumavam comprar artigos no site chinês Deal Extreme e, constantemente, lidavam com a demora nas entregas e no desenlace alfandegário brasileiro, o que até hoje faz com que os pacotes demorem muitas semanas até chegarem ao destino.

“Eu trabalhava em uma multinacional e percebi que, de 50 pessoas trabalhando, pelo menos 40 estavam online no site dos Correios verificando cada um dos seus pacotes individualmente”, lembra ele. A ideia de automatizar esse gerenciamento de pacotes foi o nascimento do Muambator e, até hoje, é o motivo que leva muita gente a utilizar o sistema.

O que Rolim não imaginava era que seu sistema tomaria proporções, como ele mesmo define, "tão absurdas". Com o sistema no ar, ele informou um grupo de sete amigos e, aos poucos, a divulgação orgânica levou a ferramenta a blogs especializados em tecnologia e colecionismo. O resultado de tudo isso foi o aumento da taxa de crescimento do site, que desde 2012 conquista 100 mil novos usuários a cada ano e a expectativa de que mais e mais pessoas conheçam e utilizem o sistema todos os dias.

O que começou como uma brincadeira pode não ter se tornado o trabalho principal de Rolim, mas se tornou um produto encarado com grande seriedade. O desenvolvedor conta que abriu, com outros dois amigos, uma consultoria em softwares para internet e celular baseada, justamente, nos trabalhos que obteve após o sucesso do Muambator.

A viagem, porém, nem sempre foi tranquila. Em maio de 2011, logo no início da operação do Muambator, o IP utilizado pelo serviço foi bloqueado pelos Correios devido ao alto número de solicitações enviadas diariamente para o órgão – algo que, com toda a certeza, estava sobrecarregando a infraestrutura.

“Eu costumava enviar mensagens aos Correios solicitando o uso de uma API que evitasse esse bombardeio constante de requisições”, explica Rolim, que não recebia resposta. Mesmo após o bloqueio do Muambator, a instituição demorou a se pronunciar e, não fosse a comoção dos usuários, é bem possível que o serviço não estivesse mais em funcionamento hoje.

Muambator

Blogs e redes sociais espalharam a palavra sobre a situação e, rapidamente, o sistema foi levado aos trending topics do Twitter em sete capitais, como São Paulo e Brasília. Em Porto Alegre, onde Rolim reside, foram nada menos do que três aparições nos assuntos mais comentados do microblog, além de cerca de 7 mil emails enviados em solidariedade ao serviço. Na época, isso representava aproximadamente 30% da base de usuários total, que era de 23 mil pessoas.

“O bloqueio criou a primeira abertura para que os Correios nos procurassem”, lembra Rolim, que esteve em contato com o diretor de comércio eletrônico dos Correios, Alex do Nascimento, e finalmente conseguiu a liberação de uma API. Iniciou-se aí uma boa relação entre o serviço e o órgão, da qual o criador do Muambator afirma não poder reclamar.

Solução integrada

Os dados nesse tipo de nicho são nebulosos e não dá para saber exatamente qual foi a primeira solução a trazer esse tipo de serviço aos usuários. Por outro lado, o que Rolim sabe dizer com certeza é que o Muambator é a única plataforma a oferecer o rastreio e gerenciamento de pacotes nas principais plataformas do mercado e sistemas operacionais móveis.

Com opções online e para iOS, Android e Windows Phone, o serviço chegou até mesmo a sair da esfera apenas dos usuários e caiu na graça de algumas empresas. “Muitos [e-commerces] estão utilizando a função de notificação de mais uma pessoa por e-mail para avisar aos clientes que uma encomenda está mudando de posição”, conta o desenvolvedor.

Com o sucesso, claro, estão em pauta uma série de novas funções que prometem facilitar ainda mais a vida dos usuários. Um exemplo são os avisos sobre previsões de entrega, que levarão em conta feriados nacionais e municipais e contarão com estatísticas oficiais dos Correios para indicar aos usuários quando eles devem receber seus pacotes.

Além disso, a equipe do Muambator estuda a criação de um aplicativo para o BlackBerry. A ideia, porém, pode acabar não saindo do papel devido à retração do número de usuários da plataforma, algo que, na visão de Rolim, pode acabar não justificando o investimento de tempo e trabalho na versão.

Outras opções

Apesar do constatado sucesso, o Muambator não é a única opção do tipo disponível no mercado. Com funções semelhantes e disponível em uma versão web, o Encontre Seu Pacote é uma boa alternativa não só para quem quer receber notificações por e-mail, mas também por mensagens diretas no Twitter.

CadeEncomenda

Quem trabalha com um grande volume de remessas, porém, pode preferir o Minha Encomenda, um software para Windows voltado especificamente para o gerenciamento de pacotes. Aqui, as notificações automáticas são deixadas de lado e o que se tem é um acompanhamento contínuo de diversas remessas simultaneamente, em uma única tela. No Mac OS X, o CadeEncomenda é uma opção semelhante.

Os navegadores também possuem algumas alternativas. O REC, para Google Chrome, conta com um sistema de notificações e permite a inserção de códigos com um único clique, além de sincronizar as informações com outros computadores ou dispositivos. No Firefox, a indicação é o Correios – Rastreamento que, apesar do nome, não é oficial.

Caso você prefira visualizar suas informações em um mapa, o Entregas, para iOS, é uma boa opção. Por meio dele, é possível observar a rota que o pacote efetuou desde a chegada ao Brasil e até a sua casa, incluindo datas e horários em que cada uma das movimentações aconteceu. É importante lembrar, porém, que a informação não está disponível em tempo real, e sim, depende das atualizações dos próprios Correios.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.