Comércio eletrônico terá crescimento de 13% com o Dia das Crianças

Por Redação | 09.10.2014 às 17:33
photo_camera RBW

Com o Dia das Crianças se aproximando, a empresa especializada em comércio eletrônico E-bit estima que as vendas online devam ter um crescimento de 13% neste período se comparadas ao ano anterior, acompanhando o que tem acontecido em outras datas comemorativas.

A E-bit estima que o Dia das Crianças deva movimentar R$ 1,3 bilhão este ano no comércio eletrônico. São consideradas na pesquisa as compras que acontecem entre os dias 28 de setembro e 11 de outubro.

A expectativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) é ainda mais otimista e espera-se que o Dia das Crianças movimente R$ 1,6 bilhão neste ano. A data é tida como a terceira melhor para o e-commerce brasileiro, atrás apenas do Natal e do Dia das Mães.

Com o crescimento das vendas no período, aumentam também os casos de compras fraudulentas. A estimativa é que durante o ano, as compras feitas por meios ilegais gerem um prejuízo de quase R$ 600 milhões ao comércio eletrônico.

Informações da Serasa Experian apontam que em 2013 o prejuízo do comércio eletrônico com fraudes chegou a R$ 500 milhões, com outubro batendo o recorde histórico, com 224.025 tentativas de fraude. A entidade acredita que o aumento das fraudes nesse período se deva justamente ao Dia das Crianças.

Pensando no alto número de fraudes registradas nesta época, Milton Tavares, cofundador da Konduto, plataforma especializada em análise de fraude e comportamento de compra na internet, pontuou algumas dicas de como evitar ser vítima dessas tentativas.

- A reputação do site que você pretende fazer a compra é um ponto inicial importante, e você pode procurar mais sobre ela em sites de avaliação, como Reclame Aqui e E-bit. Assim, você pode escolher uma plataforma qualificada para realizar suas compras.

- Atenção à segurança da página com o cadeado e o HTTPS antes do link, o que comprova que você está no site real da loja, tendo suas informações protegidas criptograficamente.

- Sites costumam concorrer entre si, entretanto, preços muito mais baixos que os dos concorrentes podem ser suspeitos.

- Caso opte por comprar em um site que não tenha 100% da sua confiança, realize a compra por cartão de crédito, o que permite em alguns casos que você solicite junto ao seu banco o reembolso do dinheiro caso a compra apresente problemas. Boletos e transferências impedem este tipo de ação.