Comércio eletrônico brasileiro cresce 26% no 1º semestre de 2014

Por Redação | 31 de Julho de 2014 às 17h15
photo_camera Divulgação

Os brasileiros estão comprando cada vez mais produtos pela internet. Este é o resultado de uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (30) pela E-bit, empresa especializada em informações sobre e-commerce. O setor, segundo o relatório, cresceu 26% no primeiro semestre de 2014 em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a US$ 16 bilhões de faturamento. As informações são da Reuters.

De janeiro a junho deste ano, o número de pedidos feitos pela web cresceu 35,5%, com uma média de compras no valor de R$ 333,40 por cliente. Nos seis primeiros meses do ano, a categoria de moda de acessórios manteve a liderança conquistada em 2013, com participação de 18% no volume total de pedidos. Em segundo lugar aparece a categoria de cosméticos, perfumaria e saúde, com 16%, seguida pelos eletrodomésticos (11%), em terceiro, e livros e assinaturas de revistas (8%), em quarto lugar do ranking.

Um dado interessante levantado pelo estudo mostra que os usuários estão comprando mais através de seus dispositivos móveis, como tablets e smartphones. No último semestre, as negociações feitas por esses aparelhos passou a responder por 7% do total das vendas, contra 3,8% do mesmo período do ano passado. Parte desse sucesso é devido à quantidade de celulares inteligentes no país, que pela primeira vez ultrapassou a comercialização de aparelhos tradicionais, alcançando 35,6 milhões de unidades.

"A mobilidade vem ganhando atenção por parte das empresas, que percebem esta mudança no comportamento dos consumidores. Por conta disso, elas começam a desenvolver seus sites e aplicativos para atender a este canal", disse Pedro Guasti, diretor executivo da E-bit. Segundo estimativa do IDC, mais de 100 smartphones serão vendidos por minuto no Brasil em 2015, contra uma média de 68 aparelhos em 2013.

Embora o número de transações online esteja perdendo força frente aos juros altos e inflação, o crescimento de dois dígitos para o mercado acontece porque as varejistas oferecem inúmeros benefícios ao consumidor, que por sua vez é estimulado a gastar aproveitando essas vantagens. Guasti destaca que fatores como promoções, entrega em casa com frete grátis e possibilidade de pesquisa virtual de preços contribuem para que o cliente feche a compra pela web.

Mesmo assim, muita gente ainda não se arrisca a fazer compras no ambiente digital. Um levantamento publicado esta semana pela Mintel constatou que as fraudes online são o principal motivo que impedem os brasileiros de concluirem transações pela internet - 30% dos usuários afirmam ter medo de possíveis golpes em sites falsos. Além disso, o relatório verificou que, por mais que a internet facilite o dia a dia de quem precisa comprar determinado item, 97% das pessoas ainda preferem adquiri-lo pessoalmente indo direto à loja. Apenas 3% disseram que acham mais seguro comprar pela web do que se dirigir ao estabelecimento físico.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.