Alibaba começa a testar entregas com drones na China

Por Redação | 04 de Fevereiro de 2015 às 15h29
Tudo sobre

Alibaba

O CEO da Amazon, Jeff Bezos, não é o único que sonha com drones realizando entregas para a sua empresa. O bilionário fundador do Alibaba, Jack Ma, também entrou na jogada e começou seus primeiros testes com veículos aéreos não tripulados para quebrar as barreiras de logística na China.

Enquanto a Amazon enfrenta dificuldades para conseguir regulamentar seu programa de entregas nos Estados Unidos, a gigante chinesa do comércio eletrônico fechou uma parceria com a Shanghai YTO Express Logistics para entregar pacotes de chá de gengibre para 450 clientes no país.

Os clientes que participarão dos testes são voluntários e os pacotes entregues serão encomendados na loja Taobao e têm previsão de entrega de, no máximo, uma hora. "Ainda não temos certeza sobre as futuras possibilidades, mas essa é nossa primeira tentativa de serviço de entrega com drones", disse o Alibaba em uma nota enviada à Bloomberg.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Drone

Imagem: Alibaba Group Holding Ltd. via Bloomberg

Cada drone é capaz de carregar até 1kg e voar uma distância máxima de 10 km, de acordo com Xue Ren, porta-voz da YTO. Ren também disse que a empresa de entrega expressa está apenas testando essa nova fatia de mercado, mas ainda não tem planos imediatos de expandir o serviço.

Se os testes forem realizados com sucesso e não sofrerem nenhuma intervenção do governo chinês, as entregas por drones irão aumentar significativamente a indústria de e-commerce no país. Atualmente, a China libera apenas um quinto do seu espaço aéreo para uso civil.

"A China ainda está na fase inicial de estabelecimento de regulamentos sobre o uso comercial de drones, muitas áreas ainda estão completamente em branco", disse o advogado Zhang Qihuai. Regulamentos considerados chave para esse tipo de negócio ainda não foram estabelecidos, como a altitude de voo permitida e a responsabilidade por acidentes.

Não é de hoje que o Alibaba mostra seus esforços para ajudar a melhorar a infraestrutura de entregas de encomendas na China. Em 2013, por exemplo, a empresa anunciou que iria liderar um investimento de US$ 16,3 bilhões ao longo dos próximos cinco a oito anos para desenvolver uma rede de logística capaz de entregar pacotes para consumidores em todo o país no prazo de 24 horas.

Atualmente, cerca de 25 milhões de encomendas são entregues todos os dias na China e este número deve subir para 200 milhões em uma década.

Enquanto isso, nos Estados Unidos, a Amazon aguarda a aprovação do governo local para continuar seus testes de entregas com drones. Apesar de toda a indústria do país aguardar ansiosamente as novas regras da Administração Federal de Aviação (FAA) em relação aos veículos aéreos não tripulados, na última terça-feira (3), a agência anunciou que concedeu mais oito licenças de uso comercial de drones.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.