4 marketplaces para vender em 2021

4 marketplaces para vender em 2021

Por Guilherme Peixoto Artiles | 15 de Abril de 2021 às 10h00

A pandemia de COVID-19 fez o mundo mudar a rotina do offline para o online e, com isso, serviços digitais e a distância passaram a ser essenciais para o dia-a-dia, como apps de delivery, serviços de entrega e, é claro, comércio online. Ao longo do período, os marketplaces cresceram o dobro do comércio eletrônico geral do mundo, emergindo como a principal forma de e-commerce.

Responsáveis por 78% do faturamento de e-commerce no Brasil, mesmo as empresas ou marcas que utilizam de lojas virtuais próprias têm o costume de colocar os seus produtos em marketplaces para aumentar o faturamento e presença dos seus produtos na web. Quem cresceu durante a pandemia tirou a prova que os marketplaces são oportunidades perfeitas para inserir produtos e aproveitar o tráfego e as demandas existentes nessas plataformas.

Pensando nisso, selecionei os 4 melhores marketplaces para disponibilizar seus produtos e vender em 2021. Confira:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Magazine Luiza

(Imagem: Divulgação / MagazineLuiza)

Considerada uma das maiores plataformas digitais brasileiras, não é exagero afirmar que o Magalu é o maior varejista de bens duráveis do país. O marketplace da empresa é um dos que mais crescem no ramo, e isso com certeza não pode passar despercebido para a sua marca e os seus produtos.

As taxas de comissões para os comerciantes nesse marketplace variam por meios de pagamento e número de parcelas. Além disso, o Magazine Luiza possui suporte a anúncios com o chamado "Magalu Ads" para impulsionar vendas no marketplace, além de fornecer entregas ágeis através de contratos com muitas transportadoras, o que chama a atenção do consumidor para uma das principais qualidades num e-commerce: rapidez na entrega.

B2W Marketplace

(Imagem: Divulgação / B2W)

Unindo fortes nomes como as Lojas Americanas, Americanas Empresas (voltada para negócios B2B), Submarino e Shoptime, a B2W não poderia ficar de fora dessa lista. Após o cadastro no marketplace, os produtos da sua marca passarão a ser vendidos em todas as lojas citadas, com os mesmos produtos, ou mix de produtos diferentes para cada marketplace.

Uma das diferenças desse marketplace, no entanto, é a necessidade de possuir um CNPJ em situação regular para realizar o cadastro na plataforma, sendo que o cadastro como MEI (Microempreendedor Individual) também é aceito normalmente. As comissões da B2W abrangem cerca de 16% do valor final do produto somado a uma taxa fixa de R$ 5 — essas que são cobradas apenas quando as vendas se concretizam, e fazem valer muito a pena a presença das gigantes, mesmo para empresas de pequeno porte.

Mercado Livre

Adaptação do logo do Mercado Livre para os tempos de COVID (Imagem: Divulgação / Mercado Livre)

O Mercado Livre é o maior marketplace da América Latina, possuindo mais de 211 milhões de usuários e, a cada segundo, cerca de nove vendas são concretizadas. Em todo esse volume, a plataforma abrange muitas categorias, o que faz a demanda do seu produto visível e presente. Esse marketplace conta com sistemas de reputações que são de extrema importância, pois definem o posicionamento do seu anúncio e acarretam mais vendas e visibilidade; porém, é necessário que você esteja seguindo todas as recomendações da plataforma para subir de reputação como vendedor.

As comissões do Mercado Livre são variáveis de acordo com a visibilidade desejada; com as maiores, você consegue fornecer parcelamento sem juros e frete grátis por um baixo valor. Além disso, o trabalho de remarketing por e-mail e displays da plataforma estão inclusos nos valores da comissão, redirecionando anúncios para possíveis clientes do seu produto que visitaram a página, mas acabaram não finalizando a compra.

Netshoes

(Imagem: Divulgação / Netshoes)

A Netshoes deve ser o marketplace mais nichado dessa lista, então se a sua ideia é vender algo mais voltado para o esporte e atividade física, não pense duas vezes ao considerar a plataforma. Com cerca de 54 milhões de visitas ao site por mês, utilizar o espaço e a exposição que ele oferece pode ser uma ótima jogada para quem deseja ampliar seu nome e a cartela de clientes no ramo; afinal, a Netshoes é, sem dúvidas, um dos maiores nomes quando se trata do comércio esportivo.

Assim como a maioria dos marketplaces, vender na plataforma requer um cadastro como pessoa jurídica, pois é obrigatório a emissão de nota fiscal para cada venda efetuada por ali. Entre os serviços oferecidos para os compradores, estão: frete grátis, cupons e promoções, parcelamentos, entrega expressa e muito mais.

Por parte do vendedor, as comissões dependem da categoria do produto — mas, se utilizada a NS Entregas, não há a necessidade de pagar a taxa. Além disso, com a venda feita a prazo, o comerciante já recebe o valor total da compra, mesmo que o cliente tenha efetuado apenas o pagamento da primeira parcela.

Fazendo dos marketplaces um uso simples e fácil

Posicionar-se através desses e de outros grandes marketplaces pode alavancar as suas vendas de forma muito rápida e escalável, porém, gerenciar o estoque individual para cada plataforma, cadastrar os produtos, descrições e outras tarefas é um processo trabalhoso e que toma um longo tempo do operacional. Lembre-se que boa parte do trabalho de vender online é uma gestão particular, mas ele pode se tornar mais fácil com a ajuda da Hubsales.

A Hubsales é um Hub que, além de intermediar os contratos e integrar todos os marketplaces com gestão de estoque e precificação centralizada, também realiza todas as descrições personalizadas de cada item, cadastros de produtos, auxilia na definição de mix de produtos e em todos os maiores processos operacionais para você, com planos acessíveis para todos os portes de negócios.

Fonte: HubSales

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.