3 dicas para reajustar os preços e aumentar a rentabilidade de seu e-commerce

Por Colaborador externo
photo_camera Divulgação

Por Jefferson Costa*

Não há como negar: o comércio eletrônico é um dos setores mais promissores no Brasil no momento. Em 2014, o e-commerce brasileiro terminou o ano com faturamento de R$ 35, 8 bilhões, segundo levantamento da E-bit. Mas apesar do cenário propício, ter uma loja virtual requer também um processo constante de inteligência para tornar seus preços mais competitivos em relação à concorrência.

Um e-commerce ou marca pode aumentar ou diminuir os valores de seus produtos tanto para alavancar sua rentabilidade ou conversão. Para isso, uma ferramenta adequada pode facilitar o processo de reposicionamento. Por meio de algoritmos sofisticados, elas fornecem análises de elasticidade de preços, identificam quais concorrentes impactam na sua venda e eliminam a possibilidade de erro humano.

Confira abaixo, 3 dicas para reajustar os valores de seu e-commerce e aumentar sua rentabilidade:

1. Explore as lacunas deixadas pelo concorrente

Geralmente, os sites procuram aumentar sua rentabilidade subindo o preço dos produtos que estão muito mais baratos do que a concorrência e mesmo assim, mantendo-os mais baixos em relação aos outros e-commerces.

No entanto, outra forma de otimizar a rentabilidade é reposicionar os preços dos produtos de acordo com a indisponibilidade dos itens nos concorrentes. Essa estratégia é ainda mais rica em determinadas crises ou sazonalidades.

2. Ao aumentar um preço, opte pelos produtos mais visitados

Se for aumentar o preço de produtos exclusivos da sua loja, não faça o processo para todos os itens com oportunidade de otimização. Foque nos produtos mais visitados em um período determinado, como os últimos 7 dias. Isso concede relevância ao seu reposicionamento.

3. Analise diariamente seu reposicionamento

Ao fazer um reajuste e analisar as vendas e conversões de um produto, é possível se deparar com algum impacto negativo. No entanto, se ele significar menos vendas, pode ser na verdade, um sinal de um faturamento maior.

Por exemplo: Se o preço de um item era R$ 150 e foi reposicionado para R$ 170, mas, ele vendia 100 peças antes da otimização e passou a vender 95 após o ajuste, no final, apesar de parecer vender menos unidades, o faturamento passará de R$ 15 mil para R$ 16.150, isto é, um incremento de 7,7%. Por conta disso, é preciso uma análise cuidadosa diária para saber se vale ou não a pena manter o reposicionamento.

*Jefferson Costa é gerente de Market Intelligence da SIEVE, líder em inteligência de preços e sortimento no e-commerce brasileiro.