Hospital dos EUA está usando drones para transportar amostras para exames

Por Felipe Demartini | 27 de Março de 2019 às 17h09

O hospital WakeMed, nos Estadoss Unidos, anunciou nesta semana que vai realizar testes de um sistema de entrega de suprimentos médicos usando drones. Em parceria com a UPS, uma das maiores empresas de frete do país, e da Matternet, que está fornecendo os quadricópteros usados no experimento, a ideia é agilizar a remessa de amostras para exames entre as instalações da instituição de saúde.

O teste também conta com o apoio da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês, órgão equivalente à ANAC brasileira) para que os drones possam sobrevoar as vias públicas de Raleigh em uma rota determinada. Os equipamentos Matternet M2 levarão amostras de sangue entre a unidade principal de hospital e seu centro de pesquisa e diagnóstico, em percursos que acontecerão diversas vezes ao dia.

O modelo escolhido é voltado, justamente, para o setor médico, tendo proteções e aparatos especiais para lidar com medicamentos e amostras. A versão utilizada no experimento é capaz de carregar até 2,2 kg de materiais por, no máximo, 19 quilômetros. A ideia final é substituir a frota tradicional, com carros e combustíveis fósseis, pelas aeronaves, mais rápidas e seguras, na visão da UPS.

Para garantir isso, a empresa de entrega criou um recipiente especial para carregar as amostras, que será acoplado ao Matternet M2 para transporte das amostras. Ele mantém a temperatura adequada e tem as salvaguardas necessárias contra quebra e avarias, elementos essenciais no transporte de substâncias desse tipo. A mesma prática também pode ser usada para levar remédios e outros materiais.

Os experimentos também levam adiante testes que estão sendo feitos pela própria Matternet na Suíça, onde mais de três mil voos com drones focados no setor médico já foram realizados. A ideia de usar as aeronaves dessa forma nos EUA também vem sendo estudada por outras companhias e pela própria FAA, como parte de um programa voltado para integrar a utilização dos equipamentos nas cidades americanas, com os experimentos envolvendo também serviços de entrega e monitoramento, entre outros.

No caso do WakeMed, os testes devem começar em agosto, sem mais detalhes sobre durações, distâncias percorridas e quantidade de voos diários (sabemos apenas que será mais de um). Iniciativas semelhantes também devem ser aplicadas pela Matternet em outras instituições médicas ao redor do mundo.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.