LG K10 Novo (2017) [Análise completa/Review]

Por Adriano Ponte RSS

Equilibrar custo-benefício é a pior de todas as tarefas, afinal existe um corte em algum lado para cada punhado de reais que desce o valor de um aparelho. A proposta é atingir o exigente público mais jovem. Será que rolou? Isso é o que vamos discutir agora.

O APARELHO

No ano passado, chamamos um LG da série K de 2016 carinhosamente de "sabonete de vidro", afinal seu design parecia muito com um. Hoje, temos o K10 Novo, que parece ter saído exatamente da mesma forma, porém modelado para um aspecto mais sóbrio.

Contando com design arredondado e bordas mais interessantes, temos o K10 Novo como uma versão estética e ergonomicamente melhor que os antecessores, apresentando acabamento metalizado na moldura e preservando o acabamento 2.5D frontal.

Ele é leve, e em 138g e 8mm de espessura mostra um peso bem distribuído, sendo sua pegada agradável (justificando muito bem o corpo arredondado com seu manuseio confortável).

Uma desambiguação: não temos um leitor de digitais no aparelho. Esse botão na traseira pode parecer, mas não é um leitor. Ele é apenas um botão, traseiro, para bloqueio/desbloqueio do celular. É exatamente como a LG fez em vários modelos, só que dessa vez dá a impressão de que há leitura de digitais.

ESPECIFICAÇÕES

Equipado com o Chipset Mediatek MT6750, temos um aparelho com:

- CPU Octa Core (1.5GHz)
- GPU Mali T860
- 2GB de RAM
- 32GB de armaz. interno
- Bluetooth 4.1
- Wi-fi b/g/n
- Suporte dual-SIM (4G)

Durante nossos testes, a versão do Android no modelo era a 7.0 (Nougat)


DISPLAY e MULTIMÍDIA

Contando com uma tela LCD de 5.3” (HD 720p), temos um display com a tecnologia "In-Cell Touch", que promete uma imagem mais próxima ao vidro frontal (reduzindo distorções, sombras e afins). De fato, não notamos esse tipo de coisa em nossos testes.

A primeira impressão que temos é muito boa ao olhar para essa tela. Sua densidade de Pixels é de aprox. 277 PPI, nada que garanta incríveis detalhes de imagem - porém o valor deixa a experiência no "suficiente" para aproveitar o que se passa ali. Cenas muito minuciosas com macros não tem "aquele impacto" todo.

Esse detalhe todo é balanceado pelas cores do painel, que (principalmente em cenas de natureza) mostram uma reprodução muito agradável de cores, deixando as cenas com boa qualidade. Pode ser 720p de resolução (abrindo mão de mais detalhes), mas o que aparecer ali estará bonito em representação de tons e cores.

Porém esse equilibrado display sofre de forma visível do mal dos LCDs, e vaza iluminação sobre qualquer cena escura, deixando aquela cara de "preto iluminado" quase cinza nas partes pretas da tela. Como a tela do modelo traz bordas conectadas muito pretas, fica visível onde a carcaça preta termina e onde a tela "fingindo a cor preta" começa. A tela DESLIGADA mostra como deveria ser a coisa toda num mundo ideal.

Vale notar que não constatamos o "brilho cinza enevoado" sobre as cenas, nem "espelhamento prata" na tela - apenas há dificuldade (notável) de criar escuridão nesse display.

Se a tela é OK, o som não é bom. Em nossos testes sempre esperamos baixa qualidade dos falantes de um aparelho compacto, porém o K10 Novo mostrou-se um dos mais fracos do mercado nesse aspecto.

A potência sonora (o volume) é baixo. Você não vai conseguir ouvir nada dentro de um carro em movimento, por exemplo.

A falta de fidelidade sonora é notável também, sendo as frequências moduladas para o agudo. Some a isso o fato da distorção que ocorre em toda execução mais complexa de som (com múltiplos instrumentos, por exemplo), e isso gera um som abafado e ainda mais baixo.


USABILIDADE e DESEMPENHO

Ao iniciar o aparelho, temos a serviço do usuário as modificações de painel, menus de configuração e uma quantidade considerável de APPs pré-instalados da LG. O widget na tela inicial deixa claro que essa experiência visa o bem da fabricante, não o do usuário.

Como sempre dizemos, mudanças da interface do Android são bem ruins na maioria esmagadora dos casos, e quase sempre entregam recursos repetidos de baixa qualidade ao usuário, e isso também acontece no K10 Novo. Se o modelo contasse com o Android de verdade (o padrão) seria bem melhor e mais agradável usar o aparelho, sem a interface poluída e nada prática da LG.

Com o desafio de processamento menor ao rodar tudo em 720p, sobra uma folga e tanto para o processador. Em geral descer a resolução dos games e aplicativos faz tudo rodar com mais folga em qualquer máquina, e notamos isso no K10 Novo.

Durante nossos testes, notamos que games MUITO gordos (como o The Trail) e outros títulos de alta complexidade conseguiram rodar de forma até que agradável. Para um intermediário, podemos dizer que o tempo de load (aqueles segundos para o jogo começar a funcionar de fato) existe, e acontecem algumas perdas de frame nessa etapa; porém no tempo seguinte acontece uma experiência estável e há viabilidade de aproveitar os títulos.

Dessa forma o K10 Novo fica com nossa anotação de "valente", executando muitos títulos de peso da Play Store (mas ainda dentro da limitação de um intermediário, onde alguns desses títulos podem não demonstrar tanta fluidez quanto espera-se ou perder quadros, afinal é um intermediário, amigos).

Como é abstrato dizer "ele roda muita coisa e até faz um bom trabalho", fiquem com os testes de benchmark que sempre deixamos com vocês.

CÂMERAS

Como câmera principal, temos uma unidade de 13MP no K10 Novo, e na frente do modelo há uma câmera de 5 MP para selfies, sendo grande angular de 120°. A idéia é que o seu entorno e seus amigos saiam na foto com facilidade, melhorando seus registros com mais cenário e amplitude na imagem.

O que temos nela? Desempenho interessante sob luz ideal (praia, ambientes externos durante o dia), com cores "ok" e registro de detalhes dentro dos 5MP prometidos. O modo angular dela faz uma boa diferença, criando em 120° um efeito "semi-panorâmico", com aquele efeito de horizonte se iniciando. Interessante para momentos onde é preciso ter mais amplitude na foto.

As fotos na câmera traseira também mandam bem, apesar de não contarem com o benefício de mais amplitude quando desejado. Como o número de MP sobe, a quantidade de detalhes também ajuda a densidade da foto a ficar melhorada.

Ok, agora vamos para aquela parte.

Os detalhes capturados pela câmera traseira são medianos, existindo muitos grupamentos de cores (ou seja, "flocos" e "granulações" nas fotos, mesmo em situações onde dispõe-se de iluminação máxima). Esses grãos de cor ocorrem principalmente em tons parecidos, como o céu ou folhagens, dando a impressão que o pós processamento da câmera une vários tons de verde num só (ou mesmo azul/roxo/etc). Assim cria-se a impressão de que pequenas poças de cor deram micro-manchas na foto.

Em cenas escuras (com passagem de luz por algum ponto) as fotos ficam terríveis, mostrando um efeito leitoso sobre a foto; nessas situações o tempo de captura também fica elevadíssimo, ajudando em nada uma câmera que não dispõe de estabilização óptica.

Mais um detalhe: existe um efeito de neblina sobre as fotos com luz de ambientes internos, como se a iluminação artificial rebatesse no assunto da imagem ou contaminasse o espectro luminoso que a câmera vê.

Anotaram tudo? Bom, isso foi nossa descrição das fotos da traseira, de 13MP. O problema aumenta um pouco na frontal de 5MP, principal chamariz do produto (segundo a publicidade sobre ele).

Como era de se esperar pelo menor tamanho, as fotos frontais ficam inferiores, deixando muito mais evidente tudo que dissemos sobre o sensor traseiro (ou seja, bolhas de cor e ruído). Em ambientes internos com iluminação média as fotos sofrem ainda mais. Essa câmera pode ter ângulo aberto, mas foi projetada para praia pelo visto, onde há luz de sobra.

Vale notar um ponto positivo no meio disso tudo: os locais onde essas câmeras funcionam bem (com luz intensa) não causam problemas de flare ou ofuscamento como vimos em alguns aparelhos da Lenovo aqui no canal. Novamente, parece que o K10 Novo foi projetado para fotos de praia - mesmo não sendo à prova d'água.

Normalmente o vídeo é parte complementar da câmera e pronto, frames animados (mais ou menos) na qualidade do que pode-se ter de fotos com aquele smartphone. Não é isso que ocorre com o aparelho.

O vídeo produzido por ele é bem ruim. O padrão de captura é a qualidade HD (720p), porém nos menus existe a opção FHD. Mesmo nesse modo, parece que os vídeos estão ainda em 720p, porém esticados para 1080p.

Curioso é que o site oficial diz: "Resolução da filmadora principal: 720p(HD)"


BATERIA e ACESSÓRIOS

Movendo o modelo temos uma bateria de 2.700 mAh apenas. "Apenas" pois o modelo mais "power" do K10 oferece 4.400 mAh.

Dito isso, colocamos esses 2.700 mAh para trabalhar, fazendo a tela HD do modelo exibir em brilho máximo streaming contínuo (via Wi-Fi sempre), como costumamos fazer. O resultado foi que cada hora de uso descarregou 15% da bateria, um valor interessante para um aparelho intermediário.

Dessa forma fica evidente que em uso normal chega-se ao final do dia, porém usuários mais ativos e que gostem de games podem precisar de uma carga pela tarde ou logo no início da noite.

Na hora de carregar, temos um adaptador de tomada de apenas 850mAh, capaz de carregar o aparelho completamente em quase 3 horas de conexão na tomada - tempo bem alto para 2017. Fizemos a experiência de conectar o modelo num carregador de mais mAh, porém não notamos ganhos de velocidade considerável.


VALE A PENA?

Disponível nas cores "Preto, Dourado e Titânio" (e com preço oficial de lançamento do K10 Novo fixado em R$ 1.199,00), temos nesse aparelho uma opção viável de smartphone intermediário.

Faz algum tempo que aparelhos com desempenho OK e demais configurações também dentro do OK tem recebido preços cada vez maiores, e nos agradou muito ver o K10 Novo com preço inaugural bem perto dos R$ 1.000,00 - indicando que desde já é uma escolha válida, porém cada vez melhor em CxB.

O K10 Novo nem de longe é um aparelho high-end ou está livre de problemas (nós descrevemos todos aqui). Porém, se levarmos em conta a faixa de preço dele, temos um KIT "OK" para o usuário final.

A cada mês que se passar ele se tornará uma escolha melhor ainda, afinal R$ 1.199,00 é o preço de LANÇAMENTO. Nossa mensagem é: esse modelo para custo-benefício vai brilhar em alguns meses.

Mas e aí? Pode ser que você não seja parte do público que busca CxB, e prefere alta performance de câmeras e tal. Vale a pena o K10 pelo que ele oferece? Te atende?

Conta pra gente nos comentários.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome