6 dicas básicas para usar a internet com segurança

Por Douglas Ciriaco RSS

segurança

Estar conectado à internet é estar sob alguma ameaça virtual em potencial. Sem adotar um tom de teoria da conspiração, é preciso estar ciente de que a web reserva coisas maravilhosas e também uma série de problemas. Porém, é preciso deixar claro também que muitos problemas podem ser evitados com alguns cuidados básicos tanto no computador quanto nos portáteis.

Confira algumas dicas simples, mas que podem melhorar significativamente a sua segurança:

1. Escolha senhas fortes e não repetidas

Gerador de senhaUm gerenciador de senha pode ajudar. (Foto: Reprodução/Secure Password Generator)

É claro que é mais fácil usar uma senha simples, fácil de ser memorizada, em todas as suas contas de serviços na internet, mas nem de longe isso é o recomendável. Vamos analisar o seguinte caso: você usa a senha do e-mail também no Facebook, no Twitter e no Instagram; se ela for descoberta, o que já seria um grande problema se torna algo ainda maior.

Além disso, usar combinações pouco óbvias também é extremamente importante. Pensar em uma combinação assim pode ser mais complicado do que parece, afinal ela precisa fugir da obviedade, mas também deve se manter dentro do compreensível e decorável para você não precisar refazer a senha sempre que for acessar um serviço. Portanto, uma boa recomendação é o uso de geradores de senha como Secure Password Generator, Random Password Generator, LastPass Generate a Password ou Dashlane's Password Generator.

2. Use a autenticação de dois fatores

Two Factor AuthAutenticação de dois fatores incrementa a segurança. (Foto: Reprodução/Two Factor Auth)

Este é um dos principais recursos da atualidade e está disponível em uma série de serviços da web. Neste tipo de autenticação, a senha que você define quando cria uma conta não é o suficiente para acessar o seu perfil; para isso, é preciso digitar um código gerado especificamente para aquele acesso, normalmente enviado até você via SMS.

O site Two Factor Auth é um agregador no qual você encontra todos as páginas da web que oferecem este tipo de segurança extra. Serviços como Twitter, Facebook, Medium, Snapchat, Tumblr, WordPress, iCloud, Box, Dropbox, Evernote, OneDrive, Skype, Telegram, Gmail, Outlook.com e Yahoo Mail são apenas alguns dos inúmeros que contam com a autenticação de múltiplo fator.

3. Considere sempre o uso de criptografia para enviar informações

ProtonMailInformações sensíveis apenas via e-mail criptografados.

Se você vai mandar informações pessoais ou até mesmo fotos que não deveriam ser vistas por qualquer pessoa, uma ótima dica é recorrer à criptografia. Atualmente, o Gmail criptografa todas as mensagens que você envia, mas ainda há alguns serviços de e-mail focados no tema, como ProtonMail — por enquanto, é preciso solicitar um convite para utilizá-lo —, Lockbin e Sendinc

Outra boa dica para “criptografar” informações sensíveis enviadas pela web, como nomes de usuário e senha, é fazer isso combinando diferentes serviços convencionais. Por exemplo, você manda uma mensagem no Messenger dizendo que enviará os dados de login e senha de um determinado serviço, mas envia tais informações via WhatsApp. Com isso, você descontextualiza esses dados, tornando-os inúteis para quem encontrá-los.

4. Coloque senha no seu roteador

RoteadorProteja o seu roteador. (Foto: NRKbeta/Flickr)

O roteador é a ponte entre os seus dispositivos e a sua internet residencial, logo protegê-lo é uma das medidas mais efetivas para evitar maiores problemas. Quando você define uma senha, aumenta as barreiras para que possíveis invasores se conectem à sua rede e, com isso, tenham acesso facilitado a outras máquinas que compartilham a mesma conexão.

5. Reveja as permissões concedidas em suas contas nas redes sociais

MyPermissionsGerencie as permissões de terceiros às suas informações. (Foto: Reprodução/MyPermissions)

Jogos e sites da web costumam oferecer a opção de login via Twitter, Google ou Facebook. Além disso, alguns serviços de terceiros que você usa em conjunto com alguma rede social ou e-mail também solicitam acesso a eles. Quando você oferece tal informação permite que alguns dados sejam visualizados, ou seja, é importante ficar atento.

Portanto, o ideal é verificar regularmente quais serviços têm acesso a essas informações, algo que pode ser feito diretamente dentro de sua conta. Google, Facebook e Twitter, por exemplo, contam com páginas específicas para isso, mas o site MyPermissions escaneia diversas contas suas a fim de encontrar quais apps de terceiros têm permissão para acessá-las.

6. Use VPN ao acessar uma rede pública

CyberGhost VPNCyberGhost é uma boa opção de VPN gratuita. (Foto: Reprodução/CyberGhost)

Uma VPN ainda é a principal proteção de quem acessa a internet a partir de uma rede pública — aquelas oferecidas em shoppings, aeroportos, bibliotecas, cafés e por aí vai. Elas ajudam você a se manter a salvo de ataques de invasores que acessam essas mesmas redes para roubar informações de outros dispositivos conectados a ela.

Caso você tenha o costume de acessar esse tipo de rede, o ideal é fazê-lo por meio de uma VPN. Ela cria uma espécie de túnel pelo qual transitam as informações entre o seu dispositivo e a web, mantendo você anônimo e dificultando o acesso indevido de outras pessoas à sua máquina. Alguns bons nomes do gênero são CyberGhost VPN, TotalVPN, SurfEasyTor + VPN e Private Tunnel.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome