Usar o carregador de outra marca pode estragar o smartphone? Descubra

Por Sérgio Oliveira RSS

Imagine a seguinte situação: você esqueceu de colocar o smartphone para carregar antes de sair para trabalhar e só percebeu que a bateria dele estava quase acabando quando chegou ao escritório. Ao procurar por seu carregador, também se dá conta que esqueceu o carregador em casa. Percebendo seu desespero, um colega lhe oferece seu carregador e mostra que ele se conecta perfeitamente ao seu aparelho. Então, que mal pode fazer um carregador de outra marca se ele encaixa no seu smartphone, não é mesmo? 

Já há algum tempo se tornou comum pegar um carregador emprestado com um amigo para dar uma "carguinha" no smartphone quando a bateria está "nas últimas". Essa prática se popularizou principalmente com a adoção em massa pelas fabricantes da entrada microUSB, praticamente um padrão na atualidade. O problema é que essa padronização mascara um perigo que poucas pessoas têm ciência. 

Como evitar problemas? 

A recomendação é que você sempre utilize o carregador e o cabo fornecidos pelo fabricante do seu dispositivo. Contudo, sabemos que muita gente compra um carregador extra, seja para o carro, para ter no trabalho ou apenas para substituir o original que deixou de funcionar. E é justamente nessa situação que devemos ter atenção redobrada. 

Para evitar ciladas, a orientação é ficar atento ao que o seu smartphone ou tablet precisa para se "alimentar". Tome nota disso observando as letras minúsculas que vêm no carregador original, ou então pesquise na internet para conhecer a tensão e a corrente do carregador original. 

Tome por exemplo o carregador do Moto X Style abaixo. Embora ele venha com tecnologia de carregamento rápido, nos interessa o campo "Standard Saída" (também conhecido como output em outros modelos), que indica o quanto de potência ele fornecerá a smartphones "comuns". 

Por padrão, o Turbopower 25 da Motorola fornece um output de energia de 5V e 2,85A

Por padrão, o Turbopower 25 da Motorola fornece um output de energia de 5V e 2,85A (Clique para ampliar. Imagem: Foto / Sergio Oliveira) 

Perceba que o carregador fornece ao dispositivo uma tensão de 5.0 Volts e uma corrente com intensidade de 2,85 Amperes. E é justamente neste momento que você deve estar se fazendo uma série de perguntas, inclusive o porquê esses números são importantes. Calma, vamos respondê-las. 

Usar um carregador com mais Volts vai carregar mais rápido?

De maneira curta e grossa: não! A voltagem indica a tensão da corrente elétrica que será fornecida ao seu smartphone. Para entender melhor isso tudo, podemos fazer uma analogia. Pense na corrente elétrica como a pressão hidráulica da sua casa: se a bomba fornecer pouca pressão, é possível que água sequer chegue às suas torneiras e chuveiros; em contrapartida, se muita pressão for fornecida, são grandes as chances de o encanamento estourar. Situação semelhante ocorre com os carregadores: caso sejam fornecidos mais Volts que seu aparelho consegue lidar, alguma coisa de errado acontecerá nele - o mais provável nesses casos é algum componente fritar. Diante disso, procure carregadores com exatamente a mesma voltagem do original. 

Nossa sorte é que praticamente todos os smartphones da atualidade adotaram o padrão USB, cujo sistema é padronizado em 5V. Mesmo assim, é bom não dormir no ponto e ficar atento sobretudo quando se tem um aparelho mais antigo. 

Dificilmente seu smartphone pegará fogo, mas usar um carregador com mais Volts prejudicará os componentes internos do aparelho, que podem 'fritar'

Dificilmente seu smartphone pegará fogo, mas usar um carregador com mais Volts prejudicará os componentes internos do aparelho, que podem 'fritar' (Imagem: Reprodução / Shutterstock) 

Usar um carregador com mais Amperes também é prejudicial? 

A situação aqui é diferente. Ainda fazendo uso da analogia anterior, a intensidade da corrente (medida em Amperes) pode ser comparada ao fluxo d'água nos canos. Quando uma torneira está fechada, o fluxo é zero, mas mesmo assim ainda há a pressão exercida pela bomba. Esse fluxo só deixa de ser nulo quando abrimos a torneira e sua intensidade aumentará à medida em que abrimos a torneira. Agora pense numa lavagem de carro: se não tivermos pressão suficiente, mesmo com a torneira no máximo, o fluxo fornecido pela bomba não será suficiente para executarmos a tarefa como gostaríamos. 

Deixando a analogia de lado, o mesmo acontece com os dispositivos móveis. A verdade é que o "carregador" não é um carregador, mas apenas uma fonte de alimentação que fornece uma tensão constante de 5V. O carregador propriamente dito está instalado no smartphone ou tablet e conta com mecanismos que regulam o fluxo de corrente que é usado. Ou seja, mesmo que estejamos utilizando um "carregador" de 5V e 10A e o telefone precisar de 2,85A, ele só abrirá a torneira para buscar os 2,85A que precisa. Ou seja, o tal "carregador" não trabalha a todo vapor, pois o telefone tem o suficiente para carregar normalmente. 

E o que acontece com carregadores com menos Amperes? 

Aqui entramos no exemplo da bomba incapaz de fornecer água suficiente para lavar o carro como gostaríamos. Ou seja, você vai conseguir lavar o carro, mas vai levar um pouco mais de tempo para deixá-lo limpinho. 

Ou seja, o carregador que existe no dispositivo e quer 2,85 Amperes vai abrindo a torneira até o máximo. Mas, como não tem como "puxar" mais, se contenta com o que tem. E é por isso que a bateria vai demorar mais até atingir os 100%. 

Certamente você já passou por isso quando conectou o telefone na entrada USB do computador. E isso acontece porque os computadores fornecem no máximo 0.5 Ampere, muito pouco para um dispositivo que pede mais de quatro vezes do que isso. Nessa situação, é possível até que ele não carregue se não estiver desligado, já que ele gasta mais energia para se manter ligado do que a que recebe do cabo USB. 

Utilizar carregadores com menos Amperes do que o original fará com que o carregamento seja mais lento. Em alguns casos, o dispositivo apenas descarregará mais lentamente

Utilizar carregadores com menos Amperes do que o original fará com que o carregamento seja mais lento. Em alguns casos, o dispositivo apenas descarregará mais lentamente (Imagem: Reprodução / Shutterstock) 

Resumidamente, a recomendação é utilizar um carregador com os mesmos Volts que o original e com os mesmos, ou mais, Amperes. Por consequência você garantirá que a taxa de carregamento da bateria do seu smartphone ou tablet seja a melhor possível, sem o risco de danificar ou vê-lo carregar vagarosamente. 

Resumindo 

Depois de toda essa explanação, podemos pontuar o que você deve atentar antes de tomar aquele carregador do seu colega de trabalho emprestado em momentos de sufoco. 

  1. Sempre dê preferência aos cabos e carregadores recomendados pela fabricante do seu aparelho; 
  2. Se for usar um carregador diferente, verifique antes se ele tem os mesmos Volts de output do carregador original, caso contrário seu aparelho pode fritar; 
  3. Se a intensidade (Amperes) do carregador for muito inferior à do original, desligue seu dispositivo para aumentar a velocidade de carregamento; 
  4. Caso precise utilizar o aparelho enquanto ele carrega, é obrigatório o carregador ter o mínimo de Amperes do original. Do contrário você terá um dispositivo que apenas descarrega mais lentamente; 
  5. Jamais utilize carregadores e cabos de procedência duvidosa (adeus, xing lings). 

Quer saber tudo sobre carregamento de smartphones, o que pode e o que não pode e os mitos sobre o assunto? Então não deixe de ler: 

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome