Google usa inteligência artificial para melhorar seus data centers

Por Redação | 29.05.2014 às 12:50 - atualizado em 29.05.2014 às 15:58

O Google vem utilizando inteligência artifical para uma ampla gama de tarefas, que vão desde a busca de resultado de pesquisa para reconhecimento de voz até a identificação de objetos em imagens. E agora a gigante quer descobrir como melhorar a eficiência energética dos seus servidores utilizando esta tecnologia.

De acordo com o blog da empresa, os engenheiros da equipe do centro de dados têm trabalhado em uma forma de prever em tempo real a eficiência energética de seus data centers. Para isso, eles usam uma medida conhecida como PUE (Power Usage Effectiveness), que é a razão entre a energia total do data center dividida pelo consumo de energia dos equipamentos. Com esses dados, os engenheiros estão desenvolvendo um equipamento capaz de identificar padrões no desempenho dos servidores que poderiam prever a quantidade de energia que será gasta. Desse modo, seria mais fácil identificar problemas de consumo naqueles servidores que fugissem do padrão reconhecido pelo sistema. O sistema também poderia ser usado para medir o impacto de fatores que influenciam o consumo de energia do servidor, como a temperatura do ar, por exemplo.

O esforço faz parte do recente ressurgimento da inteligência artificial que se estende não só ao Google, mas ao Facebook, Microsoft, IBM e inúmeras outras empresas de tecnologia. Isso inclui vários projetos de alto perfil que dependem de inteligência artificial, como os carros de auto-condução do Google e o supercomputador Watson, da IBM.

Em janeiro deste ano, o Google comprou a startup de inteligência artificial DeepMind por 500 milhões de dólares; e em 2012, a companhia contratou Ray Kurzweil, considerado um dos principais nomes da inteligência artificial, conhecido pela teoria da singularidade.